Empresa Mundo Reader S.L galardoada com Prémio Cidadão

9680
0
Share:

A Mundo Reader S.L  foi galardoada com o Prémio Cidadão na categoria de Sociedade de Informação. Este foi entregue na passada sexta-feira 22 de Março no decorrer da XI Edição dos prémios e atribuído pela Associação Prémios Cidadãos, entidade sem fins lucrativos.

Segundo o júri, composto por inúmeras personalidades do mundo intelectual e representantes de várias entidades da sociedade espanhola, este prémio terá sido atribuído à Mundo Reader S.L em reconhecimento do seu compromisso e aposta pelas novas tecnologias no âmbito do livro. A empresa terá contribuído para a difusão da cultura e facilidade do seu acesso sobre o lema “Qualquer livro em qualquer dispositivo”.

Da mão de Manuel Núñez Encabo, Presidente da Fundação António Machado e Presidente do Júri dos Prémios Cidadãos, António Quirós, Vice-Presidente da Mundo Reader S.L, recebeu o galardão e referiu: “Estamos muito satisfeitos e entusiasmados com este Prémio que reconhece a trajectória da nossa empresa como pioneira no desenho e desenvolvimento de dispositivos de leitura electrónica, assim como no desenvolvimento tecnológico do suporte necessário para ampliar e facilitar o acesso à cultura”.

Os Prémios Cidadãos (www.premiosciudadanos.com) valorizam o compromisso de pessoas e instituições com projectos de apoio e solidariedade com a cidadania. A categoria Sociedade de Informação premeia em cada ano trajectórias, projectos e programas por incorporarem valores como a difusão da cultura da Paz, o conhecimento, a alfabetização audiovisual, a pluralidade e o respeito dos direitos dos cidadãos nos meios de comunicação.

A cerimónia decorreu no Hotel Intercontinental de Madrid. Nesta XI Edição dos Prémios Cidadãos também se galardoou, entre outros, a Fundação Antena 3, em reconhecimento ao projecto FAN3 pelo seu apoio, solidariedade e actividades com crianças e adolescentes hospitalizados; já a Fundação Síndrome de Down de Madrid, pela sua defesa da dignidade das pessoas com esta doença e outras incapacidades intelectuais, assim como o seu direito à vida.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário