Dinheiro electrónico torna a gestão das finanças domésticas mais apetecível

9680
0
Share:

Cerca de 80% dos europeus gostam de manter um olhar atento sobre o seu próprio dinheiro e procuram formas cada vez mais rápidas e eficazes de controlar os seus gastos, revela um estudo pan-europeu patrocinado pela MasterCard.

De acordo com as informações obtidas nos seis países europeus que integram o estudo, 77% das pessoas confere com regularidade o saldo da sua conta bancária e 79% sabem exatamente qual o limite do seu cartão de crédito. E numa altura em que a maioria das mensagens de correio eletrónico são indesejadas e os posts das redes sociais possuem pouca utilidade prática, os emails sobre dinheiro acabam por ser a exceção: 66% dos europeus leem com vontade todas ou quase todas as mensagens que recebem do seu banco ou da sua empresa de cartões de crédito. Este desejo de ter cada vez mais controlo sobre o próprio dinheiro coincide com uma falta de confiança nos nossos bancos, com apenas 54% das pessoas a dizer que confiam na sua instituição bancária e apenas 31% a concordar que as informações fornecidas pelo seu banco são suficientes.

Com o acesso e o controlo das contas bancárias amplamente acessíveis online e através de aplicações móveis, as pessoas estão a tornar-se financeiramente mais atentas que nunca, com 76% a tirar partido da tecnologia e a gerir online as suas finanças. Estamos também a evitar as opções que podem tornar mais difícil o controlo do dinheiro, com 64% das pessoas a afirmar que tentam não fazer compras a crédito.

Apesar do crescente acesso online, o mealheiro ainda é o local de retiro para o dinheiro de muitas pessoas e continua a ser uma prática comum, independentemente das quantias amealhadas (1). Este tipo de poupança não é apenas antiquado – também é pouco convencional nesta era moderna da Internet, onde apenas 35% das pessoas visita regularmente uma agência bancária. As razões apontadas para esta prática passam, por exemplo, por argumentos como “se o dinheiro estiver todo no banco de repente tudo foi gasto sem darmos por isso” – mesmo que a maioria prefira fazer pagamentos com cartão (64%) em vez de usar dinheiro (42%).

Quando se trata da velha questão de quem normalmente “puxa os cordões à bolsa”, as mulheres surgem mais envolvidas com assuntos associados ao dinheiro. O estudo indica que 83% das mulheres afirmam manter o controlo das finanças domésticas, em comparação com os 78% dos homens. As mulheres também são mais propensas a verificar regularmente o saldo da sua conta corrente (79% das mulheres contra 74% dos homens). Isto contrasta com a noção que os homens possuem sobre o seu verdadeiro poder de decisão sobre a economia doméstica, já que 62% afirma tomar a maioria das decisões sobre o seu orçamento doméstico.

“Sabemos que, mais do que nunca, as pessoas querem sentir que controlam o seu próprio dinheiro e, para isso, estão a adotar novas tecnologias que os ajudem a alcançar esse objetivo”, afirmou Antonia Stroeh, Senior Business Leader e Global Prepaid Product Management na MasterCard. “Os nossos cartões pré-pagos foram criados para dar às pessoas outra ferramenta que está a mostrar-se essencial para quem a utiliza, com 69% das pessoas a dizer que esses cartões podem ajudá-las a controlar os gastos e 73% a ir mais longe, defendendo que os cartões podem mesmo impedi-las de entrar em dívida.”

À medida que o controlo do nosso dinheiro se torna cada vez mais importante para nós, os cartões pré-pagos podem também ajudar com outras preocupações associadas à gestão das finanças domésticas:

  • 70% dos pais de jovens acima dos 13 anos defendem que os cartões pré-pagos são um bom meio para os ensinar a gerir o dinheiro;
  • 67% julga que os cartões pré-pagos oferecem mais segurança durante as viagens ao exterior;
  • Ajudam a manter o dinheiro a salvo de outras pessoas ou mesmo dos próprios!

Share:

Deixe o seu comentário