Dados anuais do mercado de Equipamento Elétrico e Eletrónico apresentados pela ANREEE

7744
0
Share:

A ANREEE apresentou os dados do mercado nacional de Equipamentos Elétricos e Electrónicos relativos a 2013. Divulgados anualmente pela ANREEE (Associação Nacional para o Registo de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos), os dados recentemente recolhidos pela associação, indicam que, ao contrário do que aconteceu nos dois anos anteriores, o número de equipamentos colocados no mercado português em 2013 aumentou quer em unidades, quer em peso, com valores de 0,89% e 3,92%, respetivamente.

“Este aumento, se bem que tímido dá-nos uma perspetiva de viragem face à tendência de decréscimo observada em Portugal nos dois últimos anos”, observa Rui Cabral, diretor-executivo da ANREEE.

Pela primeira vez em dois anos, o número de equipamentos colocados no mercado acompanha o aumento do número de empresas registadas. 2013 terminou com 1.684 produtores registados, a que corresponde um crescimento de 2,6%, face a 2012 (1,7% em 2012, 3,1% em 2011 e 7,5% em 2010). Foram declarados à ANREEE 58.691.086 equipamentos em 2013, o equivalente a 121.582,42 toneladas.

As 1684 empresas registadas em Portugal, no final de 2013, são esmagadoramente nacionais (95%), estão localizadas maioritariamente no distrito de Lisboa (777), muito embora essa concentração tenha diminuído de 48% para 36,5%, face a 2012, seguindo-se os distritos do Porto (383) e Aveiro (145). As 53 empresas estrangeiras registadas em Portugal no final de 2013, são maioritariamente oriundas de Espanha.

Para além das 1684 empresas registadas, a ANREEE já identificou, ao longo da sua atividade, mais de 1800 empresas que, pela atividade evidenciada, poderão ser produtoras de EEE. Nestas circunstâncias, foram já enviadas milhares de cartas de sensibilização, alertando para a necessidade de registo. Às Autoridades Inspetivas – ASAE e IGAMAOT – com quem a ANREEE assinou protocolos de colaboração, tem sido enviados pedidos de investigação numa tentativa de corrigir o desrespeito pela lei e a concorrência desleal.
Face aos números recolhidos, pode apontar-se que em Portugal poderão existir cerca de 3.000 empresas a colocarem equipamentos elétricos e eletrónicos no mercado.

Laptops e notepad lideram forte crescimento

Em 2013, as tendências do mercado continuam a seguir os padrões de consumo associados às novas tendências tecnológicas. As declarações de computadores portáteis laptops e notepads cresceram expressivamente, este último ano, com um aumento extraordinário de 524,73%, passando de 26.998 unidades em 2012 para 168.665 em 2013.

O número de telefones móveis colocados no mercado em 2013 registou a mesma tendência, com um aumento de 7,09% em relação ao ano anterior.

As televisões, que tinham subido cerca de 58% em 2012 – ligado à evolução para TDT e à tecnologia de ecrãs planos – invertem o seu ciclo de crescimento em 2013, com menos 29,5%.

Em iluminação, assistimos também em 2013, aos impactos de uma mudança tecnológica, A subcategoria 5.6, que engloba as lâmpadas de tecnologia LED, também cresceu, em detrimento das lâmpadas fluorescentes compactas e clássicas, cujas unidades têm diminuído nos últimos anos.

No que respeita ao peso, verificou-se também uma subida global com um acréscimo de 3,9%. A principal subida verifica- se nos Equipamentos Informáticos de Telecomunicações e nos Instrumentos de Monitorização e Controlo, Categorias 3 e 9 respetivamente. No extremo oposto, verificam-se descidas nos pesos das categorias 7 – Equipamentos de Desporto e Lazer, 8 – Aparelhos Médicos, 4 – Equipamentos de Consumo e 10 – Distribuidores automáticos. A média de peso por equipamento manteve-se praticamente igual a 2012, com 2,1 kg/EEE.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário