18915 0

Custos com Windows XP disparam com fim do suporte, revela estudo da IDC

O aumento exponencial dos custos de uma empresa que opte por manter o Windows XP como o seu sistema operativo depois de 8 de abril de 2014, altura em que Microsoft deixa de suportar este software, é a principal conclusão do estudo ‘Riscos e Custos de Manutenção do XP nas organizações nacionais’ realizado pela IDC.

Na realidade, e apesar da consultora calcular que até ao final deste ano 33% das empresas ainda utilizem o Windows XP (o Windows 7 já representa cerca de 50% da base instalada de PC empresariaise o Windows 8 já 11%), a verdade é que se todas as organizações optarem por não migrar para um software mais moderno, o custo potencial de manutenção do sistema mais antigo é de 255 milhões de euros. E as mais afetadas são as pequenas e médias empresas (PME), que terão de suportar mais de metade deste valor, não só por serem o maior segmento de utilizadores de Windows XP mas também porque aqui o custo de gestão de um PC é mais elevado e o downtime tem maior impacto na produtividade. Este aumento drástico dos custos deve-se à inexistência de patches de correção das vulnerabilidades existentes, e consequente crescimento exponencial das ameaças.

De acordo com a IDC, hoje um PC com o sistema operativo Windows XP tem um custo anual de 548 euros, valor que desce para 150 euros no Windows 8 – associados aos custos operacionais de TI, decorrentes do suporte técnico aos postos de trabalho dos utilizadores, e custos operacionais dos utilizadores finais, resultantes do impacto da manutenção ou de problemas ocorridos com o posto de trabalho. Mas o custo de manutenção do Windows XP deverá crescer exponcialmente a partir do momento em que deixa de ser suportado: mais 5% em 2014, 25% em 2015 e 29% em 2016. Os custos de produtividade do utilizador registarão uma tendência semelhante nos dois primeiros anos e crescerão 6% em 2014, 23% em 2015 e 40% em 2016. A avaliação da evolução acumulada desde 2013 até 2016, agregando os custos anuais de trabalho de TI com os custo de produtividade do utilizador, poderá representar um crescimento de até 73%.

Neste contexto, o custo acumulado para uma organização manter um PC Windows XP nos próximos três anos pode atingir os 2.238 euros; num PC com Windows 8 esse valor é de 606 euros, ou seja menos 1.623 euros.

Este estudo concluiu ainda que as organizações que investirem 502 euros num PC com Windows 8 (incluindo hardware e software) poderão ter benefícios de 998 euros por PC ao longo de três anos, os quais serão alcançados através da redução do número de horas de suporte de TI, bem como da redução dos custos associados à perda de produtividade dos utilizadores. O retorno do investimento é de 99%, sendo este recuperado em menos de dois anos.

Feitas as contas é fácil perceber porque muitas empresas estão a migrar para softwares mais recentes, como o Windows 8. Daí a IDC avançar que apenas 3% das empresas deverá ainda utilizar o Windows XP em 2017. Numa PME, que regra geral não tem apoio de técnicos informáticos próprios e tem menor poder ne negociação, este cenário ainda é mais negro: se numa grande empresa o custo anual de um PC com Windows XP é de 434 euros, numa PME este valor dispara para os 718 euros.

Para a realização deste estudo a IDC recorreu a indicadores internacionais e nacionais, bem como a entrevistas a quatro empresas que fornecem suporte técnico a instalações XP e Windows 8, e a 11 clientes com Windows XP, Windows 7 e Windows 8.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

CINEL aposta no Nacional das Profissões

O Centro de Formação Profissional da Indústria Electrónica, Energia, Telecomunicações e Tecnologias da Informação, (CINEL) leva cinco formandos dos cursos de Aprendizagem, ao Campeonato Nacional das Profissões (Skills

Chegou a segunda geração Canon imageRUNNER ADVANCE

A Canon Europa anunciou a evolução da sua plataforma imageRUNNER ADVANCE com o lançamento de seis novas séries de equipamentos multifuncionais (MFD) A3, desenvolvidos para ajudar os clientes

IDC Predictions 2016: Mercado de TI em Portugal cresce 2,6% em 2016

A IDC acaba de apresentar as principais previsões para o mercado das TI em Portugal em 2016. O IDC Predictions, que decorreu ontem, no Hotel Pestana Palace, em

True-Skills lança Master em Programação Web

A True-Skills lança no dia 6 de Outubro o ciclo de formação em programação web constituinte dos “Masters Microsoft”, que irá perdurar até 29 de Dezembro. O Master

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *