Crescimento da atividade exportadora em todas as regiões e setores desde 2008

9240
0
Share:

Desde 2008, as exportações têm crescido em todas as regiões, setores, segmentos de idade e também no volume de negócios. Esta é a principal conclusão do estudo da Informa D&B – “Quanto Valem as Exportadoras, perfil das exportadoras 2008-2013”. O estudo, que foi apresentado na conferência TOP Exporta 2015 – onde o Banco Santander destacou  as empresas portuguesas suas clientes com a Chancela “Top Exporta” – traça o perfil do universo das empresas exportadoras e analisa o percurso das exportações entre 2008 e 2013.

Por empresas exportadoras, entende-se empresas cujas vendas ao exterior representem mais de 5% do seu volume de negócios ou que exporte um valor superior a 1 milhão de euros (em 2013 eram 30.599 vs 47.763 que apresentaram algum venda no mercado externo).

Segundo Teresa Cardoso de Menezes, diretora-geral da Informa D&B, “a análise macroeconómica sobre as exportações tem vindo a ser feita frequentemente e entendemos que era importante reforçarmos o conhecimento sobre este fenómeno, a partir de uma visão micro e evolutiva entre 2008 e 2013. O objetivo foi compreender se o crescimento da atividade exportadora que se tem verificado está assente numa base sólida e fundadora de um renovado desígnio das empresas em Portugal. Concluímos que essa base sólida existe, de facto, e que o crescimento da atividade exportadora é verificado em todas as dimensões da demografia empresarial – volume de negócios, setor, região e idade”.

Aumento do perfil exportador com as exportações a afetarem positivamente o crescimento das empresas

Entre 2008 e 2013, o número de exportadoras cresce 21% e as exportações pesam cada vez mais no seu volume de negócios (em 2013 as exportações representam 41% do volume de negócios das exportadoras + 5,7pp que em 2008). Em 2013, 10,8% das empresas são exportadoras representando 50% do volume de negócios e 32% do emprego do tecido empresarial.

Espanha é o principal destino das exportações: 61% das empresas vende para Espanha e, dos 10 principais destinos das exportadoras, apenas três são fora do mercado comunitário: Angola, EUA e Suíça. Portugal continua muito dependente do mercado comunitário, onde a União Europeia concentra 64% do valor das exportações.

As vendas ao exterior permitiram às empresas exportadoras compensar a quebra de 4,8% da sua faturação no mercado interno, com o aumento das exportações (em 7,5%) e manter o seu volume de negócios (-0,1%). O mesmo não acontece com as empresas que ficaram confinadas ao mercado interno viram o seu volume de negócios diminuir 1,2%.

Crescimento sólido da atividade exportadora

O crescimento da atividade exportadora está sustentado numa base sólida, manifestando-se em todas as dimensões da demografia empresarial – volume de negócios, setor, região e idade.

As exportações ganharam particular relevância para as PME. Entre as pequenas empresas a percentagem de exportadoras subiu de 27% para 37%, e entre as médias empresas de 37% para 46% e as exportações já representam 19% do volume de negócios total das pequenas empresas e 23% do das médias, +6pp do que em 2008.

Quase metade das exportadoras de média (49%) e grande (50,3%) dimensão receberam fundos comunitários entre 2008 e 2013, que também chegaram a 33,7% das pequenas empresas exportadoras. Foi atribuído um total de €2467 milhões de fundos às exportadoras, o que equivale a 37% do total de fundos atribuídos no período.

O perfil exportador de todos os setores acentuou-se, aumentando a percentagem de exportadoras em todos eles face a 2008, com particular destaque para o Grossista e as Telecomunicações, os setores com maior crescimento neste indicador (+9pp cada).

Também o peso das exportações no volume de negócios aumentou em todos os setores com especial destaque para as Indústrias extrativas e Transformadoras, onde as exportações passaram a representar quase metade do negócio de cada um dos setores (+10pp face a 2008).

O Norte destaca-se no seu perfil exportadora com 14% das empresas da região a exportarem, sendo também a região onde as exportações representam maior peso no volume de negócios da região (26%).


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário