Conheça os vencedores dos Rory Peck Awards 2012

8272
0
Share:

Operadores e operadoras de câmara freelance de notícias e atualidades em todo o mundo foram hoje reconhecidos em Londres nos Rory Peck Awards anuais, os únicos prémios dedicados ao seu trabalho. O evento decorreu no BFI Southbank e foi apresentado por Lyse Doucet da BBC e Tim Marshall da Sky News.

Mani ganha o Rory Peck Award na categoria de Notícias

O fotógrafo freelance e realizador francês Mani ganhou o Rory Peck Award na categoria “Notícias” pela sua reportagem feita para o Channel 4, Horror in Homs, que foi filmada quando o exército Sírio deu início aos ataques em Fevereiro de 2012. Apesar dos grandes perigos, teve raro acesso aos habitantes da cidade e aos combatentes da FSA enquanto enfrentavam as forças de Assad. As suas imagens atmosféricas, urgentes e íntimas, revelam a violência e o sofrimento humano que se faziam sentir na cidade cercada.

O júri declarou: “Mani esteve num dos locais mais perigosos do mundo, mas nunca perdeu o seu ponto de vista de realizador. Conseguiu contar uma verdadeira história. Existem alguns momentos excecionais, como o combate nas ruas, o beco dos atiradores, que filma corajosamente e com um notável sentido de enquadramento. É um trabalho profundamente emocionante.”

Há dois anos, Mani (nome artístico) deixou o seu emprego de professor do ensino básico em Paris para se tornar fotógrafo freelance. Desde o trabalho realizado na Síria, apareceu em publicações como Paris Match, Le Monde, The Guardian e The Sunday Times Magazine. Começou a trabalhar este ano também com vídeo.  Mani é Francês/Argelino e vive em Paris. Estudou Árabe e filosofia na Síria entre 1997-2001.

Alberto Arce e Ricardo Garcia Vilanova ganham o Rory Peck Award na categoria “Longa-Metragem”

Os freelancers espanhóis Alberto Arce e Ricardo Garcia Vilanova ganharam o Rory Peck Award na categoria “Longa-Metragem” pelo filme líbio, Misrata, Victory or Death. Este filme tocante e de cortar a respiração, gravado no calor da batalha com os rebeldes na cidade ocupada de Misrata, apresenta claramente de que modo um grupo de homens sem qualquer experiência de guerra, reage sob pressão extrema. O filme foi autofinanciado e difundido pela VTR/Canvas, o Canal Sur e a Direct TV.

Um membro do júri descreveu o trabalho como “fotografia superlativa de primeira linha”. Outro membro do júri declarou que “algumas cenas de combate são cinematográficas e corajosas, deixando o espectador com o coração ao pé da boca. O trabalho prendeu-me do princípio ao fim”. E um terceiro membro do júri declarou: “este filme faz lembrar o filme Band of Brothers de Spielberg.”

O jornalista e realizador Alberto Arce realizou vários documentários no Iraque e no Afeganistão. O filme que realizou em 2009, To Shoot an Elephant, foi premiado nos Festivais de Cinema da Amnistia Internacional, de Tessalónica e de Florença. Em 2009, ganhou o prémio Anna Lindh pela cobertura de conflitos pelo El Mundo. Alberto Arce vive atualmente na América Central, onde escreveu artigos de investigação para o Plaza Publica da Guatemala e é agora correspondente da Associated Press.

Ricardo Garcia Vilanova é fotógrafo freelance há 15 anos. O seu trabalho foi publicado na maior parte dos principais jornais e revistas do mundo, tendo sido exposto em várias capitais do mundo. Recebeu prémios na Europa e nos EUA. Enquanto vídeo-jornalista, trabalhou para a CNN, o Channel 4, a Reuters, a APTN, a Euronews, a Cuatro, a Telecinco e a TV3. Também colaborou com organizações como as Nações Unidas, Comité Internacional da Cruz Vermelha, Observatório dos Direitos Humanos, Médicos sem Fronteiras e Médicos do Mundo. Vive atualmente em Barcelona.

Daniel Bogado ganha o Sony Impact Award

O freelancer Britânico Daniel Bogado ganhou o Sony Impact Award pelo trabalho Terror in Sudan, realizado para o programa do Channel 4 Unreported World. Daniel Bogado viajou com o repórter Aiden Hartley pelos campos de batalha, escapando aos ataques aéreos para filmar a reportagem nas Montanhas de Nuba no Sudão, que documenta uma guerra oculta levada a cabo contra civis pelas forças do Governo do Sudão. A resposta do público ao filme deu origem à angariação de dinheiro para apoiar o hospital. O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido afirmou que o filme desempenhou um importante papel no debate político no Reino Unido relativamente ao Sudão.

O júri considerou que o filme era cativante e emocionante. “Foi filmado com sensibilidade, tem uma dinâmica e um ritmo excelentes. Há imensos pequenos momentos que criam um grande impacto emocional sobre o público. Não é uma história conhecida, mas penso que nenhum de nós poderá esquecer o que está a acontecer naquelas montanhas.”

Daniel Bogado iniciou a sua carreira na Insight News TV em Londres, onde se especializou em elaborar projetos desafiantes do ponto de vista da logística e em negociar acessos difíceis. Os seus filmes foram divulgados pela Channel 4, a BBC, a Al Jazeera English e a  Current TV. Cobriu temas tão diversos como os julgamentos de bruxas na República Centro-Africana, gangs na África do Sul e sequestros no Nepal. Para uma investigação, trabalhou infiltrado, juntando-se a um grupo de imigrantes ilegais em Calais e filmando em segredo a viagem para o Reino Unido na parte de trás de uma carrinha.

Martin Adler Prize atribuído a Ghassan Ibraheem e Al Mughira Al Sharif

Os freelancers Ghassan Ibraheem do Líbano e Al Mughira Al Sharif da Síria receberam em conjunto o prémio Martin Adler Prize 2012 pelo trabalho que desenvolveram na Síria. Este prémio especial reconhece a dedicação e a coragem dos freelancers locais que desempenharam um papel importante na reportagem de uma grande notícia. Os profissionais foram nomeados para o prémio pelas equipas de notícias da BBC que fizeram reportagens na Síria durante o conflito. Os repórteres Paul Wood e Ian Pannel destacaram a sua coragem, capacidade e técnica.

O último ano foi um ano difícil para a reportagem, recordando-nos os perigos muito reais que os jornalistas enfrentam para realizar o seu trabalho”, declarou Tina Carr, Directora do Rory Peck Trust. “Os freelancers são das pessoas mais corajosas e vulneráveis da área das notícias. Todos os anos, os Rory Peck Awards lembram-nos até que ponto estes profissionais são vitais para a indústria das notícias e para todos nós.”  

Olivier Bovis, Responsável de AV/Media, Professional Solutions Europe, Sony Europe, declarou: “Cada um dos trabalhos que vimos hoje destacou a importância vital do trabalho dos freelancers para apresentar histórias que de outro modo não seriam conhecidas. Temos muito orgulho em apoiar o Rory Peck Trust e o fantástico trabalho que desenvolve.”


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário