26675 0

Commvault: “Este ano as empresas vão perceber que a gestão inteligente de dados não é um luxo, mas uma necesidade”

A indústria das TI move-se a um ritmo sem precedentes, especialmente no que se refere à gestão dos dados. O Instituto Internacional de Analítica estima que, até 2020, as empresas que usem os seus dados de forma eficaz obterão cerca de 400.0001 milhões de Euros de receitas em comparação com as organizações que não os aproveitem da melhor maneira. A Commvault dá a conhecer as suas previsões para os próximos meses no campo da gestão de dados:

Armazenamento definido por software

Nos próximos meses as empresas passarão a utilizar verdadeiramente o armazenamento definido por software. Este modelo já demonstrou que consegue reduzir os gastos em hardware tradicional, ao mesmo tempo que proporciona o rendimento e escalabilidade necessários para Big Data, repositórios digitais, backup e outras workloads digitais de grande envergadura. Com o armazenamento definido por software, as empresas podem evitar a dependência face a um fabricante, incrementar o uso da cloud e implementar novas aplicações e serviços mais rapidamente, o que lhes dará uma vantagem competitiva significativa na economia digital atual. Também acreditamos que haverá uma oportunidade de aproveitar esta tecnologia para indexar e extrair valor dos dados, que vai para além de proporcionar uma forma mais económica de armazenamento.

A gestão inteligente dos dados não será um luxo, mas uma necessidade

As empresas vão implementar tecnologias inteligentes de gestão da informação, já que cada vez é mais claro que as soluções tradicionais não são capazes de satisfazer a crescente necessidade de uma plataforma capaz de gerir a interação entre os seus diferentes volumes de dados, de proteger de forma transparente a informação e de assegurar o cumprimento com a nova normativa europeia.

Só uma gestão inteligente da informação pode automatizar o acesso, a transferência e a sincronização entre dezenas de aplicações, bases de dados e outros volumes de dados – uma automatização que é imprescindível se as empresas não quiserem que os seus custos de administração de TI disparem e que os seus processos de negócio abrandem. Além disso, é necessária para eliminar tarefas e operações de proteção manuais, fazendo-o de forma transparente, contínua e automática.

E, por último, só uma proteção de dados inteligente proporcionará às empresas o potencial e visibilidade de que necessitam para se assegurar de que todos os seus dados são governados de forma a cumprir a nova normativa europeia GDPR. Este ano as empresas serão forçadas a perceber, de uma vez por todas, que a gestão inteligente dos dados não é um luxo, mas uma necessidade.

Ransomware

As empresas vão começar, finalmente, a levar o ransomware mais a sério e a implementar formas de identificar rapidamente conteúdo comprometido e automatizar a sua recuperação. O ransomware já mostrou ser uma das maneiras mais eficazes de se infiltrar numa organização, e os cibercriminosos estão cada vez melhores a introduzir vírus em inocentes ficheiros anexos a mensagens de email. As empresas necessitam de saber classificar, separar e esconder os seus dados para reduzir o risco de que caiam em mãos alheias e se percam para sempre. A estratégia de gestão de dados de uma empresa deve decidir-se a nível diretivo, em conjunto com a estratégia de segurança, com o objetivo de manter os dados críticos fora do alcance dos cibercriminosos.

Modelos de custo na cloud

Um aumento na hibridação de centros de dados também aumenta o fluxo e refluxo dos dados que se movem entre a cloud e as instalações on premise. Os sistemas de custos atuais não foram desenvolvidos tendo em conta este nível de transferência de informação entre diferentes localizações. À medida que as empresas adotam cada vez mais ambientes de infraestrutura híbrida, os modelos de preços atuais para mover dados de um lado para o outro estão a tornar-se insustentáveis. Durante os próximos meses, estes padrões de preços terão que ser ajustados, ou os fornecedores atuais de serviços na cloud arriscam a ver a sua quota de mercado a ser-lhes roubada pela concorrência.

A agitação da indústria do armazenamento

À medida que as empresas procuram implementar novas tecnologias e mais serviços na cloud, os vendedores de soluções pontuais perderão mercado em favor de fornecedores que ofereçam plataformas de gestão de dados potentes que simplifiquem e automatizem a gestão de uma informação cada vez mais complexa.

Gestão de recursos humanos

No mercado laboral atual, as empresas procuram cada vez mais ampliar a sua capacidade de alcançar, recrutar, motivar e reter os melhores talentos. Neste cenário, todas as empresas deverão adotar estratégias de aquisição e retenção de profissionais que se centrem no processo sem burocracia, para não só assegurar e manter colaboradores qualificados e motivados, como também garantir que todos estes profissionais estejam alinhados com os objetivos empresariais.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

MEO lança nova campanha de adesão

A partir de hoje, cada cliente MEO pode convidar os seus amigos a aderir ao MEO, recebendo 30 euros por cada adesão a descontar na sua fatura. O

Atos apresenta plataforma Self-Service Hadoop para enfrentar desafios Big Data

A Atos apresenta a plataforma Self-Service Hadoop, que acelera a transformação digital das empresas, tornando os serviços de componentes software Big Data mais rápidos. Com origem na inovação

Entrevista: Rita Ramalho, Proprietária da loja Moto Racer

Chama-se Moto Racer e é desde o dia 18 de Novembro o mais recente ponto de encontro para amantes de veículos motorizados, com duas ou quatro rodas, no

JP- inspiring knowledge é a maior empresa portuguesa de TI

A JP é segundo o ranking da revista Exame, a maior empresa nacional na área das tecnologias. Entre 2010 e 2011, cresceu 66%, passando de uma faturação de

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *