Cisco expande funções de virtualização para fornecedores de serviços

5984
0
Share:

A Cisco apresentou a plataforma Evolved Services Platfrom (ESP), um elemento chave da sua estratégia Open Network Environment (ONE) que acrescenta funções importantes de virtualização de redes para fornecedores de serviços.

Com uma das ofertas mais completas e abertas da indústria no domínio da tecnologia SDN (Software-Defined Networking) e NFV (Network Function Virtualization), o anúncio de hoje inclui também dois novos módulos de serviços virtuais – no que toca a serviços geridos para empresas, vídeo e mobilidade – e quatro novas fórmulas mais simples para facilitar a implementação por parte dos fornecedores de serviços.

Mais de 25 fornecedores de serviços líderes em todo o mundo – incluindo China Mobile, Deutsche Telekom Technik GmbH, SunGard Availability Services e Telecom Italia – estão a transformar as suas redes com a plataforma Cisco ESP, que lhes permite aproveitar os investimentos já realizados, melhorar a agilidade do seu negócio e obter uma maior eficiência operativa.

Com o crescimento exponencial das conexões entre pessoas, dispositivos, máquinas e sensores na nova fase da Internet of Everything (IoE), os fornecedores de serviços exigem novas capacidades para implementar serviços e aplicações Cloud de valor acrescentado. Aberta, extensível e escalável, a plataforma Cisco ESP resulta de vários anos de trabalho de engenharia baseados em três pilares básicos da estratégia de virtualização da Cisco para fornecedores de serviços:

A rede está cada vez mais virtualizada e a virtualização está cada vez mais integrada com a rede;

A virtualização deve funcionar como uma extensão da infraestrutura física;

A virtualização não deverão limitar-se a uma só função e sim fazer parte de toda a arquitetura.

A plataforma Cisco ESP trabalha com a Cisco Evolved Programmable Network (EPN) e foi concebida para ajudar os fornecedores de serviços a acelerar a disponibilização de serviços inovadores, aumentar as suas receitas através da oferta de experiências consistentes e diferenciadas do utilizador, reduzindo os custos operativos e otimizando as infraestruturas de rede já existentes.

Cisco Evolved Services Platform

A Cisco ESP é uma completa plataforma unificada de software de virtualização e orquestração que permite criar, automatizar e fornecer serviços em tempo real através de funções de computação, armazenamento e rede para obter os resultados desejados com as aplicações através de múltiplos domínios. Situada entre as várias camadas das arquiteturas de aplicação e da Cisco EPN, a plataforma Cisco ESP permite que os fornecedores de serviços ofereçam a experiência correta para cada necessidade do cliente, independentemente da conexão à rede (acesso fixo, móvel e WiFi).

As principais características da plataforma de software de virtualização e orquestração Cisco ESP são:

Aberta. A Cisco ESP é uma plataforma multi-vendedor, baseada em padrões abertos que incorpora a suíte de protocolos Openstack e Open Daulight (SDN), plenamente compatível com o ETSI NfV (MANO) e com o 3GPP Gi-LAN, entre outros protocolos. Interoperável mesmo com software de terceiros, a Cisco ESP opera com as funções e aplicações virtuais da Cisco e com as de outros fornecedores, como Broadsoft, Metaswitch Networks e Openwave Mobility.

Extensível. A Cisco ESP oferece uma gama de funcionalidades mais extensa, que inclui toda a arquitetura dos fornecedores de serviços – Cloud, vídeo, rede móvel e rede fixa – para os ajudar a otimizar as suas redes ou automatizar a criação de novos serviços em função das necessidades de negócio.

Escalável. A Cisco ESP permite que os fornecedores de serviços escalem os seus serviços já existentes de forma transparente e dinâmica, ao mesmo tempo que consegue uma grande aceleração da implementação de novos serviços e funções de rede. Os recursos são controlados de forma automatizada e aproveitam quando e onde necessitam para facilitar aos fornecedores uma oferta ‘sob pedido’ da velocidade da web.

Dois Novos Módulos de Serviços

A Cisco também anunciou a disponibilidade de dois novos módulos de serviços:

Vídeo: solução Cisco Videoscape Cloud DVR. Os fornecedores de serviços podem agora oferecer a gravação de vídeo na Cloud e o seu armazenamento na nuvem em vez de utilizar o descodificador ou terminal. Os utilizadores podem assim voltar a visualizar os programas, localizar os conteúdos antigos e reproduzir o conteúdo digital gravado a partir de qualquer lugar e em qualquer ecrã. Por seu lado, os fornecedores de serviços têm a possibilidade de alargar a sua oferta multi-ecrã. Esta solução já foi implementada por um dos principais operadores de vídeo norte-americanos.

Mobilidade: Internet Móvel Cisco Virtualizada. Os novos serviços móveis virtualizados – como a informação patrocinada na qual o fornecedor de conteúdos paga para distribuir os seus dados ao utilizador – proporcionam novas fontes de geração de receitas para os fornecedores de serviços. Estas capacidades são ainda mais amplas com o anúncio da Cisco Quantum Virtualized Packet Core (QvPC), das funcionalidades Cisco Virtual Gi-LAN e da Cisco Quantum Services Bus. A solução está a ser testada nos laboratórios da China Mobile.

Fórmulas mais simples para os fornecedores de Serviços

A Cisco também anunciou quatro novas fórmulas para que os fornecedores:

Funcionalidades virtuais. Podem adquirir-se funcionalidades virtuais individuais como módulos independentes, correndo numa rede para equipas específicas (por exemplo, hardware e hipervisores independentes).

Orquestração. Funções e orquestração virtualizadas, proporcionando todos os benefícios das diferentes capacidades de forma conjunta para uma aproximação “em rede” ou de “encadeamento de serviços”, obtendo assim uma maior funcionalidade e respondendo a novas oportunidades de mercado.

POD. Funcionalidades de serviços virtualizados combinados com orquestração e um pacote de hardware (implementação do tipo POD), oferecendo acordos ao nível do serviço e rendimento garantido na infraestrutura da Cisco, incluindo os serviços de consultoria e integração da Cisco.

‘Como serviço’. Modelo com uma oferta completa de serviços que inclui funções de serviços virtualizados combinados com orquestração e disponíveis em modo host ou através da Cloud de terceiros para acelerar a sua implementação, mediante pagamento por utilização.


Share:

Deixe o seu comentário