100395 0

Brasil: NF-e 4.0: o que muda com a nova versão?

A Secretaria da Fazenda (SEFAZ) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), divulgaram algumas alterações no layout da Nota Fiscal Eletrônica. A partir de agora, passa a valer o modelo NF-e 4.0 e não mais a versão 3.10, que será totalmente desativada até o dia 2 de julho de 2018.

A Nota Fiscal é um comprovante obrigatório em todo o território nacional, utilizado em transações de vendas de produtos ou serviços. Atualmente, grande parte dos municípios brasileiros já exigem a emissão da Nota Fiscal Eletrônica, com o objetivo de facilitar o processo entre os prestadores de serviço, os compradores e os órgãos públicos. Alguns de seus benefícios são: redução dos custos de impressão de papel, diminuição da sonegação de impostos, maior controle fiscal, descontos no IPTU e ICMS para o contribuinte, maior transparência no controle fiscal, dentre outras vantagens.

Há mais de três anos sem sofrer alterações, a nova atualização da NF-e foi desenvolvida com o objetivo de padronizar as emissões de Notas Fiscais, através de um ambiente de produção mais intuitivo e de fácil controle. Além disso, por meio de softwares de gestão, as empresas conseguem administrar todos os envios, tornando o processo mais seguro.

O que mudou?

O novo modelo NF-e 4.0 passou por reformulações em seu layout e em alguns campos dentro da plataforma, com o propósito de facilitar a usabilidade dos usuários. Agora, o preenchimento ficará mais simples, evitando a rejeição da nota e futuras irregularidades (quando preenchida incorretamente).

Com as alterações realizadas, locais como cEAN (GTIN do produto, antigo código EAN) e cEANTrib (GTIN da unidade tributável) deverão ser preenchidos obrigatoriamente quando o produto tiver código de barras com GTIN (identificador para itens comerciais).

Além dessas mudanças, novos campos foram criados e outros renomeados: Rastreabilidade de produto – que visa o rastreio de produtos que necessitam de regulação sanitária; Grupo Total da NF-e – local em que constará o valor dos Impostos Sobre Produtos Industrializados (IPI) e o campo Formas de Pagamento foi alterado para Informações de Pagamento. No Grupo Informações do Transporte, foram inseridas mais duas categorias de frete: transporte próprio por conta do remetente e transporte próprio por conta do destinatário.

Há também algumas novidades específicas no campo Informações de Pagamento. A partir da nova versão, será possível informar o valor do troco e a forma de pagamento utilizada pelo contribuinte, como: dinheiro, cartão de crédito/débito, cheque, vale alimentação/refeição, dentre outros.

Outra modificação realizada foi na atualização do protocolo de segurança dos dados e das emissões de NF-e. Com a versão 4.0, será autorizado apenas o protocolo TLS 1.2 ou superiores, não sendo mais possível a comunicação através do protocolo SSL.

Não deixe para a última hora!

Importante atentar-se para o prazo limite de mudança para a nova versão, pois sem a implementação não será possível emitir NFs e, consequentemente, a empresa ficará irregular com o Fisco.

O novo ambiente de homologação (somente para testes) da NF-e 4.0 está em vigor desde o dia 20 de novembro, sendo que o ambiente de produção está disponível desde o dia 4 de dezembro, contudo, a mudança neste momento ainda é facultativa. Já a desativação da versão 3.1 está muito próxima e acontecerá no dia 2 de julho de 2018. Por essa razão, é necessário realizar a migração o quanto antes, pois o antigo modelo será desativado e a partir desta data não será permitida a emissão de notas fiscais através dele.

Descomplique a emissão de NF-e

Para não correr riscos com as operações fiscais quando o novo modelo entrar em vigor definitivamente, é importante aproveitar esse período de recessos e “colocar a casa em dia”. Nessa hora é importante contar com o apoio de um software desenvolvido por parceiros especializados, que ofereçam um sistema emissor confiável e em conformidade com as novas exigências.

Para evitar transtornos, com a solução de emissão de Nota Fiscal Eletrônica do software de gestão da TECNICON, é possível realizar todo o processo de envio da NF-e 4.0 de maneira simplificada, otimizando o tempo e evitando possíveis erros de preenchimento.

Através do arquivo de XML enviado pelo fornecedor, as informações são geradas automaticamente, sem a necessidade de incluir manualmente cada item ou demais valores totais, na Nota Fiscal.

Mais informações podem ser encontradas na TECNICON através do telefone 0800 052 3502 ou através do site www.tecnicon.com.br. 


Bruno Fonseca

Bruno Fonseca

Fundador da Leak, estreou-se no online em 1999 quando criou a CDRW.co.pt. Deu os primeiros passos no mundo da tecnologia com o Spectrum 48K e nunca mais largou os computadores. É viciado em telemóveis, tablets e gadgets.

Notícias Relacionadas

Portugueses são os mais otimistas com o futuro do país nos próximos anos

Neste período de pós-crise, os portugueses estão mais otimistas. Cerca de 32% dos inquiridos consideram que a situação do país vai melhorar nos próximos dois anos. Só os

Lexmark apresenta nova gama de impressoras laser com quatro anos de garantia

A Lexmark anunciou a sua linha para PMEs com quatro anos de garantia. Desenhada para responder assertivamente às necessidades das PMEs, oferece aos clientes uma maior tranquilidade e

PHC Software reforça a aposta na felicidade dos seus colaboradores

A PHC Software apresenta o programa My Happiness, desenvolvido com o objetivo de trabalhar a atitude para a felicidade dos seus colaboradores em linha com a política de

Fortinet apresenta a segurança de rede do futuro, a segurança intend based

Integrado no seu evento Fortinet Accelerate 2017, realizado de 9 a 12 de janeiro, em Las Vegas, Nevada, e que reuniu especialistas e profissionais de TIC que partilharam

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *