92053 0

Atomico angaria 765 milhões de dólares para investir em empresas tecnológicas europeias

A Atomico fecha o seu quarto fundo de investimento – Atomico IV, no valor de 765 milhões de dólares, constituindo o maior fundo de capital de risco a nível europeu. A Atomico vai investir o valor deste fundo em empresas tecnológicas europeias de series A em diante, que apresentem produtos e soluções no mercado que estejam preparadas para escalar de forma a tornarem-se nos líderes globais dos setores em que atuam.

As startups portuguesas estão também na mira deste fundo, depois de Portugal ter demostrado grande potencial na criação de startups globais e na sequência do investimento em empresas portuguesas, como foi o caso da Uniplaces.

“As grandes empresas tecnológicas europeias não surgem apenas de Berlim, Londres ou Estocolmo, mas também de novos centros tecnológicos como é o caso de Lisboa,” explica Carolina Brochado, Partner da Atomico em Portugal. “Em 2016, Portugal assistiu a uma grande evolução no investimento tecnológico. Este investimento foi ainda maior ao receber um evento tecnológico global e ao criar o seu próprio Lisbon Summit. Na Atomico, orgulhamo-nos de já sermos parceiros de empresas disruptivas como a Uniplaces e vamos continuar a investir em empreendedores ambiciosos em Portugal que estejam preparados para expandir as suas empresas e serem vencedores globais.”

O volume deste fundo demonstra a confiança que existe no modelo de criação de valor da empresa. A Atomico reuniu duas equipas de classe mundial, uma especializada em investimento e outra equipa constituída por elementos de criação de valor, com ex-colaboradores de algumas das empresas de maior crescimento em todo o mundo. A equipa de criação de valor faculta apoio prático em áreas como a internacionalização e parcerias, retenção de talento, marketing e comunicação. A equipa de criação de valor total, que totaliza o número de parceiros na Atómico para 15 elementos (oito parceiros de investimento e sete parceiros de criação de valor), inclui nomes como:

  • Niall Wass (Uber): Expansão Internacional e Mercados
  • Alexis Dormandy (Virgin, Orange): Estratégia de crescimento
  • Benjamin Grol (Facebook, Google): Crescimento de utilizadores
  • Dan Hynes (Google, Skype): Talento
  • Sophia Bendz (Spotify): Marketing
  • Carter Adamson (Rdio, Skype): Produto
  • Bryce Keane (Albion Drive, 3beards): Comunicação
  • Shin Iwata (Japan, Skype) Entrada em Mercados e Parcerias, Japão
  • Carlos Pires (Brazil, Skype): Entrada em Mercados e Parcerias, Brasil
  • Kelly Poon (China, Skype): Entrada em Mercados e Parcerias, China

Adicionalmente, através da sua equipa de investimento e extensa rede de contactos, a Atomico vai trabalhar de perto com alguns dos mais bem sucedidos empreendedores na Europa – incluindo fundadores de empresas que hoje valem 6 mil milhões de dólares – com o objetivo de encontrar algumas das mais entusiasmantes empresas da próxima geração.

Este fundo – Atomico IV – é também um sinal de confiança nestes fundadores europeus que, apesar de terem angariado no último ano 14 mil milhões de dólares em mais de 2.400 rondas de investimento, enfrentam um défice de fundos relativo quando estão prontos para escalar.

A Europa conta com 4.7 milhões de profissionais que geraram mais de 100 mil milhões de dólares em fusões e aquisições tecnológicas, num mercado que assistiu a mais de 30 Ofertas Públicas de Aquisição só no último ano, sem que a amplitude e qualidade dos fundos acompanhasse o processo. Com mais de 1.700 rondas seed e series A nos últimos 12 meses, a taxa de conversão para outros estágios ainda é baixa. Ao apoiar empresas que estão prontas para se expandirem a nível global, o Atomico IV vai ajudar a compensar esta disparidade por ter a capacidade para investir logo a partir da primeira ronda e durante todo o percurso da empresa.

 


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

NOS e Fábrica de Startups lançam programa de novas ideias

A NOS e a Fábrica de Startups lançam o «Tourism Ideation Week», um programa que pretende gerar ideias para responder aos desafios reais que se colocam hoje no

CTT lançam projeto de apoio a startups portuguesas

Os CTT lançaram um projeto de apoio a Startups ou pessoas singulares com produtos, serviços ou modelos de negócio que possam vir a integrar-se na rede de Lojas

Vodafone representada no Web Summit por seis startups nacionais

Aquela que é considerada a maior conferência de tecnologia do planeta está a chegar a Lisboa e o Vodafone Power Lab vai estar representado no Web Summit através

5.ª edição do BIG Smart Cities apresenta Cascais como primeira cidade experimental para startups

Abrem hoje as candidaturas para a 5.ª edição da competição de empreendedorismo promovida pela Vodafone e pela Ericsson – o BIG  Smart Cities –, que este ano traz

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *