35987 0

Dois terços das empresas vão mudar para armazenamento software-defined em 2018

O armazenamento software-defined está rapidamente a tornar-se uma realidade nas empresas, numa altura em que 95 por cento das companhias expressam interesse numa abordagem de storage mais flexível e quase dois terços – 63 por cento – revela planear começar a adotar uma abordagem software-defined nos próximos 12 meses. As conclusões são de um novo estudo internacional de profissionais de TI, divulgado pela SUSE.

As empresas veem claras vantagens tecnológicas e de negócio no armazenamento software-defined, incluindo:

Cost of ownership mais baixo – 81 por cento dos inquiridos acha atrativo o armazenamento software-defined, e 72 por cento avalia o seu armazenamento com base nesse fator. Cerca de 73 por cento concorda que todas as empresas são empresas de armazenamento, amplificando a ligação entre o armazenamento de dados e fatores críticos de negócio.

Níveis de escalabilidade mais elevados – 96 por cento das empresas apreciam a escalabilidade de negócio do armazenamento software-defined, e 95 por cento acham atrativa a sua escalabilidade de tempo, performance, técnica e de custos.

Maior performance – o maior benefício expectável do armazenamento software-defined é a melhoria da performance de sistema, de acordo com mais de metade dos inquiridos (52 por cento). Outros benefícios expectáveis incluem a facilitação da web moderna, aplicações e serviços móveis e de big data, custos de suporte e manutenção reduzidos, apoio a modelos de negócio inovadores e facilidade de desenvolvimento.

Acompanhar as tendências tecnológicas – mais de metade dos inquiridos acredita que a adoção de cloud(54 por cento) e big data analytics (50 por cento) são tendências significativas que irão acelerar a mudança da indústria para o armazenamento software-defined.

O interesse no armazenamento software-defined também se estende à tecnologia subjacente, uma vez que 75 por cento das empresas considera uma abordagem open source à sua infra-estrutura de armazenamento. Cerca de 42 por cento estão já a considerar o open source para fazer face às suas necessidades de armazenamento.

A SUSE está a trabalhar com o projeto open source Ceph para disponibilizar tecnologia de armazenamento que seja inteligente, escalável e líder de mercado em termos de preço e baixo cost of ownership.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

OutSystems expande presença na Ásia-Pacífico com escritório na Austrália

A OutSystems anuncia a inauguração do primeiro escritório próprio de vendas na Austrália, no âmbito da sua expansão mundial. Ao estabelecer a presença em Sydney, a OutSystems poderá assim

Parfois entra na era da transformação digital com a PRIMAVERA BSS

A tecnologia cloud de gestão de ativos desenvolvida pela Valuekeep, uma empresa do grupo PRIMAVERA foi selecionada pela multinacional de acessórios de moda Parfois para gerir os processos

Talkdesk prepara mais 100 contratações nos próximos meses

A Talkdesk já concretizou o seu objetivo de recrutar 100 colaboradores durante o ano de 2017, tendo reforçado a sua equipa nos escritórios de Lisboa e Porto, sobretudo

PHC Software é a tecnológica mais feliz

Na sexta edição anual do estudo Happiness Works, a PHC Software foi distinguida como a empresa tecnológica mais feliz em Portugal, sendo a única representante do setor nas

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *