Alcatel-Lucent Enterprise apresenta a sua estratégia de Bring Your Own Device

7920
0
Share:

A Alcatel-Lucent Enterprise apresentou em Cascais, na passagem da tour mundial da sua área de Comunicações Empresariais em Portugal – Dynamic Tour 2012 – a nova oferta para endereçar o fenómeno de Bring Your Own Device (BYOD) e a sua estratégia perante essa realidade e o futuro das comunicações empresariais.

Segundo Luís Coelho, Manager da Alcatel-Lucent Enterprise para Portugal, “Inovações como o BYOD, mobilidade, multimédia, colaboração e “Application Fluent Networks” estão a mudar, na actualidade, a forma como as empresas desenvolvem a sua actividade. Queremos mostrar, desde as PME com negócios mais simples até às Grandes Empresas com negócios complexos, como podem tirar partido das suas comunicações fixas e móveis de forma integrada para terem um melhor desempenho, ao mesmo tempo que poupam custos com soluções simples e de rápido ROI”.

Em Cascais, a Alcatel-Lucent Enterprise, apresentou o seu próprio conceito de BYOD assente no apelo para que as empresas construam o seu próprio destino (Build Your Own Destiny). O conceito de Bring Your Own Destiny foca-se no crescimento do número de smartphones, tablets e outros, no acesso transparente às aplicações e nas capacidades multimédia (ambiente que está a criar uma ‘nuvem pessoal’ de cada utilizador) que devem obrigar à reformulação do panorama completo das comunicações de cada empresa e assim o destino que dão aos seus investimentos nesta área para alterar o destino das comunicações de cada utilizador, num sentido de maior colaboração entre os seus equipamentos e entre equipas, tirando o máximo partido das capacidades multimédia em plataformas e soluções únicas e não várias e complexas.

Dentro deste conceito, a área de negócio focada em Empresas da Alcatel-Lucent apresentou a oferta de OpenTouch Suite for Small and Medium Businesses, solução que permite, suportada em apenas um servidor, garantir às PME a capacidade de integrar as suas comunicações de telefone, vídeo e dados e garantir um conjunto de ferramentas tão simples como botões de conversação automática a partir do Outlook (telefone, vídeo, instant messaging) ou integração com redes sociais nas suas comunicações numa única plataforma, acessíveis no passado apenas a grandes empresas.

Já com a solução de Virtual DataCenter é possível visualizar e gerir de uma forma simples, toda a informação do hypervisor (gestor de máquinas virtuais), relacionada com a localização e movimento das máquinas virtuais. Rastreia a infra-estrutura de rede, informação crítica, localização e histórico das máquinas virtuais, e ao mesmo tempo, cria de uma forma automática, perfis de rede VnP (Virtual network Profiles), que são atribuídos a cada máquina virtual, seguindo-as no seu movimento dentro e entre datacenters. O foco é aumentar a segurança e Qualidade de Serviço nos datacenters, reduzindo ao mesmo tempo a quantidade de regras e VLANs necessárias em simultâneo na infra-estrutura de rede associada, como também uma redução dramática do tráfico de “flooding” e de “broadcast” nestes locais. Em exclusivo a Alcatel-Lucent apresenta a granularidade da configuração e informação obtidas do hypervisor, como também a flexibilidade que esta possui de poder ser implementada num datacenter virtual de pequena dimensão como em datacenters de grande dimensão, com milhares de portas, distribuídos geograficamente e em ambiente de nuvem.

Com a solução Opentouch Large and Medium Enterprises suportada também em apenas um servidor as empresas podem garantir aos seus colaboradores comunicações multi device (até cinco equipamentos diferentes por colaborador, da empresa ou seus, os quais define onde se encontra contactável em cada momento, podendo ter os cinco activos sempre), multi user (permite adicionar outros colaboradores a conversas tidas em vídeo, telefone ou instant messaging) e multimédia (mudança entre diferentes tipos de serviços de comunicação de empresa, como o Instant Messaging, a Partilha de Aplicações, as Chamadas de Voz e a Colaboração de Vídeo, sem interromper a sua conversação).

“Segundo um estudo recente do IDG Connect, 91% dos profissionais de negócio e de tecnologias da informação em todo o mundo usam o seu iPad de alguma forma, no mundo das comunicações. A questão já não está em pensar para daqui a uns anos investir no BYOD, ele já está na maioria das nossas empresas, muitas vezes sem que o departamento de TI saiba. É importante desde já criar políticas de procedimentos e tirar partido do fenómeno para rentabilizar investimentos e garantir aos utilizadores a melhor experiência possível,” acrescenta Jean-Clovis Pichon, Alcatel-Lucent Enterprise General Manager para Portugal e Espanha.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário