Alarme de segurança virtual para defensores dos direitos civis em risco

5280
0
Share:

Todos os dias, existem pessoas em todo o Mundo a arriscar as suas vidas na defesa de direitos humanos que a maioria das pessoas no ocidente carateriza como garantidos. O Natalia Project nasceu do desejo de proteger esses mesmos heróis.

Aqueles que necessitam de proteção utilizam o alarme pessoal Natalia Project, idêntico a uma pulseira. Em caso de ataque o alarme é ativado através de um natalia-bracelet.jpgsimples puxão da pulseira. Após ativado, é emitido um sinal com a localização de GPS exata para toda rede de comunicações dos escritórios da Defesa dos Direitos Civis, localizado em Estocolmo e para as pessoas que se encontrem mais próximas que possam rapidamente prestar auxílio. A capacidade de agir rapidamente em situações desta natureza podem significar a diferença entre a vida e a morte.

O que faz deste projeto algo único é a capacidade do alarme ser emitido para as pessoas que seguem o Natalia Project através do Facebook e do Twitter. Isto significa que milhares de pessoas podem ter conhecimento da existência de um ataque e em breves instantes começar a pressionar as devidas autoridades. O facto de o mundo inteiro ser avisado rapidamente de um possível ataque cria imediatamente um perímetro de segurança virtual em redor dos defensores dos direitos civis. Se existe cenário que todos os regimes querem evitar a todo o custo é a atenção internacional e as possíveis críticas que possam surgir dos seus atos.

“O Natalia Project complementa as tradicionais atividades da Defesa dos Direitos Civis reforçando a segurança dos defensores dos mesmos que se encontram em risco. Isto dá-nos a oportunidade de reagir mais rapidamente e deixa-nos disponíveis para proteger estas pessoas que arriscam as suas vidas todos os dias defendendo direitos civis e políticos”, refere Robert Hardh, Director Executivo da Defesa dos Direitos Civis.

Os primeiros alarmes foram distribuídos na Conferência “Defender’s Days” da Defesa dos Direitos Civis que se realizou em Estocolmo entre 2 e 5 de Abril. O primeiro objectivo do projeto é incluir 55 defensores dos direitos civis nos próximos 18 meses para poder garantir um maior apoio económico de patrocinadores e do público em geral.

“Eu penso que a maioria de nós gostaria de fazer algo quando ouvimos o que estes defensores dos direitos civis fazem e os riscos que correm. Mas isto acontece tão longe e existem tantas outras coisas a acontecer na vida quotidiana das pessoas. O Natalia Project torna mais simples o contributo de qualquer pessoa de uma forma bastante concreta na vida destes defensores em risco”, conclui, Robert Hardh
Para mais informações sobre o Natalia Project, visite www.nataliaproject.org


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário