Advocacia e TI estão entre as mais procuradas e melhor pagas

10296
0
Share:

A Page Personnel lança o Guia das Funções Mais Procuradas 2015, que procura espelhar de forma prática quais as tendências do mercado de trabalho nacional, as competências mais valorizadas e as funções mais procuradas.

Segundo Sílvia Nunes, Executive Manager da Page Personnel Portugal, “o contato diário dos nossos consultores com os principais players do mercardo permite-nos adquirir um conhecimento aprofundado do mercado de trabalho nacional, pelo que voltamos a partilhar sob a forma de guia as funções mais requisitadas, suas responsabilidades, competências e formação necessárias, bem como, remunerações.”

As 18 funções mais procuradas pelas empresas em território nacional em 2015 encontram-se enquadradas nos setores Financeiro, Tax & Legal, Commercial & Marketing, Tecnologias da Informação, Secretariado & Assistência Admninistrativa e Trabalho Temporário.

O guia revela ainda que apresentam média salarial mais elevada os setores de Tax & Legal e de Tecnologias da Informação, com as funções de Advogado, Administrador de Sistemas, Analista Programador e Responsável de Informática a atingirem um valor máximo de 35 000 euros/ano.

Entre as funções mais procuradas em 2015, as que apresentam média salarial menos elevada são Assistente Administrativo, Rececionista, e Comercial e Auditor Interno, com médias salariais máximas de 18 900, 21 000 e 22 400 euros/ano, respetivamente.

AS FUNÇÕES MELHOR REMUNERADAS

Advogado (Tax & Legal)

Na dependência direta do Diretor Jurídico, acompanha o dia-a-dia societário (redação de atas de Conselhos de Administração, análise de contratos com provedores e clientes, apresentação das declarações de impostos).

Nas grandes empresas é comum a especialização em função dos diferentes ramos do direito (laboral, societário, comercial, público, fiscal); nas pequenas e médias empresas o perfil de advogado de empresa é mais generalista, em função das necessidades da empresa. O desenvolvimento dentro da empresa estará sempre relacionado com a área do direito laboral e segurança social, e a média salarial varia entre 21 000 e 35 000 euros/ano (anual bruta, consoante experiência do candidato).

“As reformas laborais dos últimos anos e o aumento das rescisões durante o período de crise fizeram crescer a necessidade de recrutar este tipo de perfil,” constata Sílvia Nunes.

Administrador de Sistemas (Tecnologias da Informação)

Reporta ao Responsável de Sistemas ou ao Diretor de Tecnologias de Informação, sendo responsável pela administração e atualização de sistemas, resolução de problemas dos utilizadores, gestão de fornecedores, documentação da configuração do sistema e administração da rede.

Os perfis preferidos pelas empresas apresentam licenciatura em Informática, Física, Matemática Aplicada e áreas afins, e ainda certificações oficiais Microsoft, MCSa, MCSE, CCna e CCnP. A evolução natural desta função é para o cargo de Responsável de Sistemas, e a média salarial entre 18 200 e 35 000 euros/ano (anual bruta, consoante experiência do candidato).

Analista Programador (Tecnologias da Informação)

Com reporte ao Gestor de Projeto, tem a seu cargo os programadores júniores da empresa, a análise de requisitos do cliente, desenho funcional e técnico de módulos, planificação das tarefas dos programadores e supervisão de toda a área de programação.

O seu perfil requer formação profissional de grau superior em Engenharia Técnica e/ou informática/ telecomunicações. Com evolução natural para a posição de Analista Funcional ou Arquiteto, a remuneração da função pode atingir uma média salarial entre os 25 000 e 35 000 euros/ano (anual bruta, consoante experiência do candidato).

Responsável de Informática (Tecnologias da Informação)

Com reporte ao Diretor Administrativo Financeiro da Empresa ou ao Diretor Geral, será responsável pela conceção, desenvolvimento e manutenção dos sistemas operativos e bases de dados definição dos sistemas de comunicação e soluções técnicas, coordenação da elaboração de propostas e ofertas de cariz técnico, relação com empresas de serviços externos e gestão de fornecedores. Terá a seu cargo, caso existam na estrutura, o Responsável de Sistemas e os Responsáveis da área de Desenvolvimento.

É valorizada a formação superior em Engenharia Técnica e/ou informática/telecomunicações e a progressão profissional exige no mínimo 1 ano de experiência como Responsável de Sistemas ou Responsável de Desenvolvimento. A média salarial é de 35 000 euros/ano (anual bruta, consoante experiência do candidato).

“Estes profissionais continuarão a ser muito procurados no futuro, pois são uma peça-chave em qualquer empresa, independentemente do seu setor de atividade ou dimensão. Estas funções apresentam uma rentabilidade a curto prazo, permitindo à empresa a diferenciação e adaptação eficiente às constantes evoluções tecnológicas,” analisa Sílvia Nunes.

OUTRAS FUNÇÕES MAIS PROCURADAS

Contabilista (Finance)

Reportando ao responsável de contabilidade, é responsável pela análise do balanço, apoio ao fecho contabilístico e elaboração das obrigações fiscais, devendo evoluir para uma função de Chefe de Contabilidade ou de Adjunto do Diretor Financeiro. A média salarial varia entre os 11 200 e os 28 000 euros/ano.

Controller (Finance)

Reportando ao responsável de controlo de Gestão, é responsável pela análise e reporte das informações financeiras, e deve evoluir para postos de Controller em filiais mais importantes ou para um cargo na Direção Financeira. A média salarial varia entre os 14 000 e os 30 000 euros/ano.

Auditor Interno (Finance)

Reportando ao Chefe de Auditoria Interna, é responsável pelo processo de auditoria dos procedimentos internos, bem como auditorias financeiras. Por norma, evolui para posição de responsabilidade nos departamentos administrativo-financeiros e aufere entre os 11 200 e os 22 400 euros/ano.

Auditor Externo (Finance)

Reportando ao sénior do projeto ou ao manager, é responsável pelo processo de auditoria externa a diversos clientes. Os perfis que demonstram possuir competências comerciais irão muito provavelmente desenvolver a sua carreira no seio das empresas de auditoria. A média salarial varia entre os 14 000 e os 28 000 euros/ano.

Técnico de Cobranças (Finance)

Reportando ao Director Financeiro, é responsável pela execução do processo de análise de crédito e cobranças. A evolução desta função pode realizar-se em dois sentidos, através da consolidação dentro da área de clientes e crédito como Credit Controller e/ou Credit Manager ou dentro da área de contabilidade, como Técnico de Contabilidade. A média salarial varia entre os 11 200 e os 23 100 euros/ano.

Account Manager (Commercial & Marketing)

O Account Manager/Delegado Comercial é responsável pela gestão de contas em determinada zona geográfica e/ou clientes com um volume de negócio significativo. Reporta ao Responsável Comercial ou ao Key Account Manager e pode evoluir para a posição de Key Account Regional/ Manager. Aufere em média entre 16 000 e 25 200 euros/ano.

Area Sales Manager – Exportação (Commercial & Marketing)

Reporta ao Diretor de Exportação, desenvolvendo e implementando o plano de vendas e marketing para cada um dos mercados pelos quais seja responsável. A evolução natural desta função é para a posição de Diretor de Exportação e a média salarial varia entre 21 200 e 33 000 euros/ano.

Responsável de Zona (Commercial & Marketing)

Reporta ao Chefe de Vendas ou Diretor Comercial, tem a seu cargo a coordenação, dinamização e acompanhamento da atividade comercial de uma zona de vendas. A evolução natural desta função é para a posição de Chefe Regional de Vendas, e aufere em média entre 14 000 e 25 000 euros/ano.

Marketing Assistant (Commercial & Marketing)

O Assistente de Marketing é responsável por apoiar e gerir a atividade operacional e de apoio à Gestão de produto, reportando ao Gestor de produto ou Brand Manager. Estes profissionais podem evoluir para um perfil de suporte do departamento de Marketing ou para uma posição de Product Manager. A média salarial varia entre 11 000 e 23 000 euros/ano.

Analista Funcional (Information Technology)

Com reporte direto ao Gestor de Projeto, tem a seu cargo os Analistas programadores, programadores séniores e programadores júniores da empresa e é responsável pelo desenho funcional e técnico de sistemas e módulos, por provas de sistemas, análise de normas standard da instalação e melhoria dos módulos. A evolução natural desta função é para a posição de Chefe de Projeto e aufere em média 25 000 euros/ano.

Secretária de Direcção (Secretarial & Management Support)

Apoio ao Diretor em rotinas administrativas diárias, com ênfase na gestão de agenda pessoal e corporativa, organizando viagens, reuniões e eventos externos. Poderá evoluir para a função de Assistente Pessoal ou ainda desempenhar a função de Secretária de Direção. A média salarial varia entre 19 600 e 25 000 euros/ano.

FUNÇÕES EM REGIME DE TRABALHO TEMPORÁRIO

Comercial

Depende do Chefe Regional de Vendas, ou do Diretor Comercial, e é responsável pela prospeção e fidelização de clientes, e alcance e superação de objetivos de vendas. São competências chave o relacionamento interpessoal, trabalho em equipa, capacidade de planeamento e comunicação, dinamismo, autonomia e responsabilidade. Esta função evolui, por norma, para o cargo de Responsável de Grandes Contas e aufere entre 14 000 e 22 400 euros/ano, com uma componente variável entre 6 000 e 10 000 euros/ano.

Técnico de Recursos Humanos

Com reporte ao Responsável de Recursos Humanos, é responsável pelo recrutamento e deifinição de respetivos objetivos, gestão de fornecedores de Recursos Humanos, gestão administrativa dos colaboradores, avaliação de desempenho e criação de políticas de desenvolvimentos e planos de carreira. Com formação em Psicologia ou Recursos Humanos e boa capacidade de relacionamento interpessoal, pode evoluir para Responsável de Departamento e aufere entre 12 600 e 28 000 euros/ano, com uma componente variável entre 6 000 e 10 000 euros/ano.

Assistente Administrativo

Assessoria todas as áreas e respetivas equipas com elaboração de relatórios, desempenha um papel de staff e suporta actividades administrativas de back-office, como organização de agendas, viagens e reuniões, cronogramas e suporte ao cliente. As empresas dão preferância a profissionais com formação em Secretariado ou Administração, com capacidade de relacionamento interpessoal, organização e planeamento. Auferem entre 11 900 e 18 900 euros/ano e podem evoluir para a função de Office Manager.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário