Decunify implementa data centers de dois centros logísticos da Sonae Distribuição

15400
0
Share:

A Decunify anuncia que foi a empresa selecionada pela Sonae Distribuição para realizar, em conjunto com a Schneider Electric, a implementação de dois centros logísticos da Sonae Distribuição.

Dado que o negócio da Sonae Distribuição integra retalho alimentar e não alimentar, a empresa tem atualmente três polos logísticos: Maia, Azambuja e Madrid, pontos nevrálgicos da cadeia de abastecimento, essenciais em todo o processo de entrega das mercadorias nos diversos pontos de venda a nível ibérico.

De acordo com Amadeu Teixeira, IT Solutions Manager da Sonae Bit, unidade responsável pelo desenvolvimento e suporte de todas as soluções de sistemas de informação da Sonae. “Registavam-se muitas perdas de conetividade às comunicações, o que no contexto da atividade em questão significa camiões que não saem das instalações. Portanto, custos bastante elevados para a operação da logística”.

A consolidação dos centros logísticos nas três localizações exigia que estes fossem dotados de centros de dados, de infraestruturas e sistemas próprios, que, de acordo com Paulo Lima, Head of Delivery da Sonae Bit, permitissem que os centros pudessem operar e que fosse possível “garantir essa continuidade de negócio em caso de algum problema no data center principal, em Matosinhos”.

A Solução

“Foi-nos lançado o desafio, pela Sonae, de criar uma infraestrutura que não fosse apenas um data center per si. O desafio era a instalação de dois data centers no polo logístico da Maia e dois no polo logístico da Azambuja”, detalha José Manuel Oliveira, administrador da Decunify. “Cada um deles, em cada uma destas localizações, faria a sua redundância a nível local. Os outros, dois a dois, fariam redundância a nível geográfico”. Em 90 dias a operação da Maia estava a funcionar a todo o vapor, ou seja, ambos os data centers, com testes de redundância local.

Para a implementação deste projeto na Sonae Distribuição a Decunify realizou a coordenação com o cliente e as equipas de instalação e com o seu parceiro Schneider Electric – que forneceu e implementou toda a componente de energia socorrida (nomeadamente UPS) e de controlo de climatização, em coordenação com o integrador. “Dado o elevado requisito de disponibilidade de operação, concebeu-se a construção de dois centros de dados em cada um dos centros de distribuição: o primeiro para operação normal e o segundo para disaster recovery, que deveria assegurar a logística mais urgente que permitisse a saída de camiões em caso de falha grave do centro de dados principal”, aponta Pedro Magalhães, enterprise system engineer da Schneider Electric Portugal.

O projeto contemplou ainda a construção de um data center de disaster recovery de proximidade, construído no próprio pavilhão do armazém de distribuição. No caso da Azambuja, ficou alojado num contentor anexo ao centro de distribuição. Cada uma das salas foi desenhada tendo em conta a sua funcionalidade, ambas cumprindo os requisitos de Tier 3, sendo que todos os componentes elétricos foram desenhados em função dos critérios de desempenho de Tier 4, ou seja, assegurando redundância duplicada. Pretendeu-se, assim, assegurar que cada um dos centros de dados seria de forma global imune à primeira falha e, do ponto de vista da energia, imune a falhas concomitantes.

Assim, os data centers edificados assentam na filosofia de construção de uma sala tipo cofre, desenhada e fabricada pela Schneider Electric sob a forma de smart shelter, construído em painel corta fogo com o objetivo de tornar o centro de dados mais seguro e estanque ao fogo exterior, ao pó e à água.

O Resultado

Para a Sonae Distribuição, os benefícios foram inúmeros. “Esta implementação da Decunify e da Schneider Electric permitiu-nos ganhar a confiança que esperávamos em termos de resiliência e de disponibilidade dos sistemas de informação dos nossos entrepostos. Nunca tivemos qualquer tipo de problema, qualquer tipo de indisponibilidade, graças a toda a arquitetura e à infraestrutura que foi montada, o que nos permite realmente cumprir a 100 por cento aquele que era o objetivo do projeto: garantir o uptime máximo dos sistemas de informação e, com isso, permitir que toda a nossa cadeia de valor flua sem qualquer tipo de percalço para os nossos clientes”, resume Paulo Lima. Do ponto de vista energético, houve “ganhos significativos”.

Amadeu Teixeira aponta que a solução da Decunify e Schneider Electric foi adotada pela “robustez dos produtos instalados” e pelo “valor da solução apresentada”, que permitiu alcançar o desejado numa só implementação e apenas com um integrador.

“A Decunify e a Schneider Electric são de facto parceiros importantes para a Sonae no mundo do IT, temos feito vários trabalhos em conjunto e temos tido, de facto, um grau de sucesso muito elevado na implementação das soluções, o que nos transmite toda a confiança para futuros projetos e futuros desafios”, conclui Paulo Lima.


Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário