Alcatel-Lucent Enterprise reduz a sobrecarga das TI com sistema de gestão unificada da rede

24200
0
Share:

A ALE lança o Alcatel-Lucent OmniVista 2500 Network Management System (NMS), oferecendo um vasto leque de informação detalhada de rede, proporcionando às TI um melhor entendimento relativamente à forma como a rede está a ser usada. Dá ao mesmo tempo uma ajuda preciosa no ajuste de toda a operação para garantir uma experiência de utilização melhorada. As TI passam a dispor de uma consola abrangente e de uma ferramenta de relatórios que traduz o desempenho e a utilização que está a ser feita por parte dos elementos de rede, das aplicações e do comportamento dos utilizadores.

O OmniVista 2500 incentiva as TI a abandonarem o típico planeamento reativo das suas operações de rede em prol de uma postura proativa, através dos seus relatórios de análise preditiva integrada. A análise preditiva está em permanente aprendizagem e consegue prever comportamentos na rede com meses de antecedência. Com esta informação, as TI podem otimizar o seu desempenho e planear mais facilmente expansões futuras. É ainda enviada uma notificação de alerta sempre que o comportamento em termos de tráfego se afaste das expectativas, indicando uma possível ameaça à rede.

A gestão unificada foi igualmente ampliada com este lançamento do OmniVista 2500 para suportar toda a família de produtos com fios e sem fios da Alcatel-Lucent Enterprise, enquanto parte de uma rede de acesso unificado. As capacidades de gestão unificada facilitam a implementação, a gestão e a resolução de problemas de toda a rede, ao reduzirem a pressão sobre as TI que têm que suportar o crescente uso de aplicações e de equipamentos pessoais (BYOD) e profissionais na rede.

O novo modelo OmniVista 2500 ajuda a colmatar o fosso que existe entre o mundo das aplicações e das redes, dando às TI uma total visibilidade sobre as aplicações, independentemente de estas estarem integradas num ambiente de rede físico ou virtual (VXLAN), simplificando todo o processo de resolução de problemas e permitindo às TI a criação de políticas de QoS que melhorem toda a experiência de utilização.

Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário