WatchGuard Anuncia Novos Pontos de Acesso Wireless Seguros


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A WatchGuard acaba de anunciar o lançamento do novo AP300 para um acesso seguro a redes wireless. Concebido para funcionar em conjunto com as premiadas appliances Unified Threat Management (UTM) Firebox da WatchGuard, o AP300 proporciona um acesso wireless protegido pelos mais avançados serviços de segurança, para ajudar a indústria a proteger melhor os seus dispositivos na utilização de redes Wi-Fi. O AP300 conta com o mais recente standard 802.11ac, bem como com novas funcionalidades wireless que permitem resolver problemas comuns na indústria, tais como Fast Roaming, que melhora a qualidade de clientes VoIP; Fast Handover, que força dispositivos com pouca força de sinal a ligar-se rapidamente ao ponto de acesso seguinte; e Band Steering para transferir de forma célere os clientes para a banda dos 5GHz, mais fluida.

A adoção da tecnologia wireless está a crescer exponencialmente com o acesso às redes Wi-Fi a tornar-se presença obrigatória em todos os tipos de empresas e negócios, bem como em espaços públicos. As organizações estão a oferecer acesso Wi-Fi gratuito aos seus clientes para que possam aceder à internet através dos seus smartphones, portáteis e outros dispositivos móveis. Contudo, a segurança é um fator muitas vezes ignorado, embora seja um elemento crítico que todas as empresas deveriam ter em conta. À medida que o acesso wireless aumenta, cresce também o nível de vulnerabilidade a ataques oportunistas e altamente direcionados.

“As empresas de todos os setores estão a sofrer uma pressão crescente por parte dos seus clientes, fornecedores e empregados para que disponibilizem acesso wireless. Infelizmente, também os hackers estão constantemente a tentar por todos os meios obter acesso indevido às redes dessas empresas”, sublinha Ryan Orsi, diretor de gestão de produto da WatchGuard. “Por esse motive, as empresas precisam de melhorar a sua defesa, especialmente no que se refere às suas redes Wi-Fi. As que não procuram proteger devidamente as redes Wi-Fi, sem esquecer dos hotspots para utilizadores convidados, podem acabar por pôr em risco a segurança dos seus clientes, parceiros e utilizadores internos, expondo todos a um conjunto de riscos. O AP300 combina a mais recente tecnologia wireless com as melhores funcionalidades de segurança da sua classe, para proteger os utilizadores das ameaças online que atacam através de redes Wi-Fi.”

As organizações precisam, por isso, de proteger os seus clientes, proporcionando-lhes uma experiência wireless rápida, fiável e segura.

“As avançadas soluções de segurança de redes da WatchGuard tiveram um impacto significativo no nosso negócio”, conta Casey Jones, CTO da Quasar Data. Segundo este responsável, “estamos muito satisfeitos com a segurança da WatchGuard para redes wireless. O AP300 é super-fácil de instalar e permite-nos obter uma excelente cobertura wireless em todo o escritório e no datacenter. Com a nova funcionalidade de roaming, posso ir do escritório até ao centro de dados sem perder a ligação de alta velocidade à rede.”

Algumas ameaças de segurança que podem afetar as redes wireless:

  • Violação das passwords de acesso à rede Wi-Fi: Os pontos de acesso wireless que ainda utilizam protocolos de segurança mais antigos, como WEP, são alvos fáceis, uma vez que as suas passwords estão mais vulneráveis a violações.
  • Hotspots maliciosos: nada impede fisicamente um cibercriminoso de ativar um ponto de acesso malicioso com um SSID correspondente perto de um hotspot legítimo, levando os clientes a efetuar login. Os utilizadores que o fazem acabam muitas vezes por ter os seus dispositivos infetados com malware, sem que se apercebam disso.
  • Instalação de Malware: Os utilizadores que se ligam como convidados a uma rede wireless estão suscetíveis a infeções por malware, propagadas por utilizadores vizinhos mal-intencionados. Uma tática comum usada pelos hackers é plantar um backdoor na rede, que lhes permitirá voltar mais tarde para rubar informações sensíveis.
  • Escutas clandestinas: Os utilizadores convidados de redes wireless desprotegidas correm também o risco de verem as suas comunicações intercetadas, ou espiadas, por programas maliciosos especificamente concebidos para o efeito.
  • Roubo de dados: A ligação a uma rede wireless insegura faz com que os utilizadores corram o risco de perderem documentos privados, uma vez que os cibercriminosos muitas vezes monitorizam este tipo de redes à espera da melhor oportunidade para deitar a mão a informações confidenciais que percorrem a rede.
  • Utilização inapropriada ou ilegal: As empresas que oferecem acesso Wi-Fi a utilizadores convidados arriscam-se a acabar por dar abrigo a uma série de atividades e comunicações ilegais e potencialmente perigosas. Conteúdos para adultos ou de natureza extremista podem ser ofensivos a quem aceda à rede e, além disso, a prática de downloads ilegais pode fazer com que a empresa que proporciona o acesso Wi-Fi livre fique exposta a possíveis ações judiciais.
  • Maus vizinhos: À medida que cresce o número de utilizadores wireless, também aumenta o risco de dispositivos previamente infetados entrarem na rede. Ataques móveis, como o Stagefright do Android, podem espalhar-se de um utilizador para o outro, mesmo que a primeira vítima do ataque nem se tenha apercebido do que aconteceu.

A WatchGuard protege contra estas ameaças, permitindo às redes wireless passarem todo o seu tráfego através dos serviços de segurança que correm no firewall da WatchGuard, incluindo antivírus (AV), Serviço de Prevenção de Intrusões (IPS), WebBlocker, spamBlocker, App Control, Reputation Enabled Defense, APT Blocker e Data Loss Prevention. Cada um destes serviços é gerido através de uma única consola centralizada, e pode ser ativado sem qualquer impacto negativo na velocidade ou processamento.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *