Schneider Electric e IDC analisam o impacto da Transformação Digital e IoT nas empresas de Telecomunicações e Colocation


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Schneider Electric acaba de promover, em conjunto com o IDC, uma iniciativa intitulada “Digital Transformation & IoT: Impact for Service Providers”. O evento, que teve lugar no Hotel Altis Belém, em Lisboa, contou com uma sessão de boas vindas por João Rodrigues, IT Business & Field Services Vice-President, Schneider Electric Portugal e com as apresentações de Gabriel Coimbra, Country Manager da IDC Portugal e Pedro Nobre, RAC DC EMEAS Solutions Architect da Schneider Electric.

Presentes estiveram mais de 20 responsáveis da área das Telco e serviços de hosting, que tiveram a oportunidade de ver abordados os desafios da Transformação Digital nos Centros de Dados dos operadores de telecomunicações e fornecedores de serviços de hosting. Em análise esteve também a consolidação da 3ª Plataforma Tecnológica e o nível de maturidade dos Aceleradores de Inovação, como motor da Transformação Digital e que coloca uma pressão cada vez maior sobre os operadores, no sentido de disponibilizarem infraestruturas de Centros de Dados escaláveis, inteligentes e seguras, cuja implementação se revela decisiva nos ganhos de escala e no rápido desenvolvimento do negócio.

Segundo Gabriel Coimbra, Country Manager da IDC: “A Transformação Digital alterou e irá continuar a alterar a paisagem empresarial. A melhor prova de que esta transformação é real é a diminuição galopante da esperança média de vida das organizações. Se na década de 60 as empresas do S&P 500 tinham uma longevidade de cerca de 61 anos, em 2016, a duração média de uma empresa é de apenas 21 anos, sendo que hoje o Top 5 é dominado por empresas com uma forte base tecnológica. Isto leva-nos a concluir que a Transformação Digital é fundamental para a competitividade e sobrevivência das organizações.”

Em linha com a visão apresentada, a Schneider Electric salientou a necessidade das empresas deste setor terem acesso a um portfólio de soluções de Centros de Dados amplo e flexível, cujas ofertas possam ir desde arquiteturas tradicionais de Centros de Dados até projetos modulares totalmente escaláveis, passando por arquiteturas híbridas. Paralelamente, a visão da empresa, do ponto de vista da gestão de Centros de Dados, passa por uma abordagem global dos projetos, através da integração de sistemas de alimentação, arrefecimento, segurança física, monitorização e soluções de software.

“Um dos grandes desafios de hoje passa por unir o mundo das infraestruturas ao mundo do IT. É nessa gestão integrada que vão surgir os grandes avanços e é também aí que vamos observar a importância dos ganhos de eficiência. As projeções indicam que nos próximos 40 anos o consumo de energia vai aumentar cerca de 50% e, nesse sentido, é vital ter uma abordagem holística que permita reduzir consumos e aumentar a eficiência”, referiu Pedro Nobre, RAC DC EMEAS Solutions Architect da Schneider Electric.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *