SAP supera objetivos de 2015 e aumenta as metas para 2017


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A SAP SE anunciou os resultados financeiros do último trimestre e anuais de 2015, que terminou em 31 de dezembro de 2015.
A SAP apresentou um excecional desempenho no quarto trimestre com um crescimento acelerado na cloud e um crescimento de dois dígitos no seu negócio core de licenças de software. No final do ano, as receitas não-IFRS de cloud e software cresceram 20% (ou 12% a taxas constantes) e ultrapassaram as previsões de crescimento de 8%-10% a taxas constantes. As novas encomendas na cloud, a medida chave do sucesso das vendas da SAP na cloud, cresceram anualmente 103% para 883 milhões de euros e 75% no quarto trimestre para 344 milhões de euros. As receitas não-IFRS de subscrições e suporte na cloud foram de 2,30 mil milhões de euros (2 mil milhões de euros a taxas constantes). O lucro operacional não-IFRS foi de 6,35 mil milhões (5,903 mil milhões com uma taxa constante, ultrapassando a previsão anual de 5,6 – 5,9 mil milhões a taxas constantes).

A nossa força em 2015 mostra que o ciclo de inovação S/4HANA está no bom caminho“, afirmou Bill McDermott, CEO da SAP. “A abrangência da nossa visão na cloud diferencia a SAP dos outros fornecedores. Ganhámos na cloud e em software, no lucro operacional e estamos mais que confiantes que o nosso negócio no futuro continuará a ser de crescimento rentável“. “Os nossos fantásticos resultados em 2015 validam a nossa estratégia de inovação transversal no núcleo da nossa oferta, na cloud e nas redes de negócio, para ajudarmos os nossos clientes a tornarem-se autênticas empresas digitais”, referiu Luka Mucic, CFO da SAP. “Transformámos a nossa empresa, deslocando investimentos em atividades não essenciais para as áreas estratégicas de crescimento, que nos permitiram captar oportunidades extraordinárias de crescimento no mercado. Tal facto coloca-nos num caminho de crescimento no futuro e leva-nos a projetar o aumento das nossas metas de crescimento para 2017“.

 DESTAQUES DE NEGÓCIO NO QUARTO TRIMESTRE 2015

 Elevada Adoção de SAP S/4HANA, mais do que duplicando no quarto trimestre

A solução SAP S/4HANA é a próxima geração de business suite e o “núcleo” em torno do qual as empresas podem operacionalizar todos os seus processos em tempo real, bem como integrar a empresa e o seu ecossistema externo para atingirem resultados de negócio positivos. A adoção da solução SAP S/4HANA continua a acelerar drasticamente, com mais de 2.700 clientes em todas as regiões e indústrias no final de 2015, mais do que duplicando de trimestre em trimestre. A solução SAP S/4HANA está também a catalisar uma ampla adoção, pelos clientes, de todo o nosso portefólio de inovação. Por exemplo, a Merck está a mudar-se para SAP S/4HANA para um acesso mais rápido aos dados, melhorando a experiência do utilizador e a produtividade através da simplificação dos processos de negócio.

Gestão do Capital Humano mostra forte impulso

Os clientes estão cada vez mais a escolher a solução da SAP para gerir a sua força de trabalho global, permanente e temporária. A contagem de clientes da solução SuccessFactors Employee Central, que é o cerne da nossa oferta de Gestão de Capital Humano, superou o milhar pela primeira vez no quarto trimestre. A SAP está a ganhar aos seus principais concorrentes de HCM, especialmente nos mercados fora dos Estados Unidos. Por exemplo, a Lufthansa escolheu a solução SAP SuccessFactors. As inovações da SAP em HCM irão aumentar ainda mais esta diferenciação da SAP e levar à conquista de mais quota de mercado.

Customer Engagement and Commerce conduzem a crescimento de três dígitos em encomendas

A SAP registou um excelente crescimento nas suas soluções de Customer Engagement and Commerce (CEC). Os clientes constroem uma nova relação, mais personalizada com os seus consumidores, tornando-a mais rica e contextualizada em todos os canais. A SAP é ímpar neste aspeto porque também permite às empresas ligarem o front e o back-office em tempo real e efetuarem operações de comércio eletrónico em toda a sua cadeia de valor de ponta a ponta. As novas encomendas de cloud para Customer Engagement and Commerce registaram um crescimento anual na ordem dos três dígitos em 2015.

Forte Crescimento em Business Networks

A SAP está a liderar o caminho para um mundo híper-conectado. O SAP Business Network Group, que compreende a Ariba, Fieldglass e a Concur, fornece os atributos comuns de uma plataforma aberta e um ecossistema alargado de clientes, fornecedores, parceiros e programadores que entregam cada vez mais conteúdo e inovação. As novas encomendas de cloud para a Business Network aumentaram 187% ao longo do ano para 309 milhões de Euros.

Desempenho Regional – Crescimento de Dois Dígitos em todas as regiões em Receitas de cloud e Software

A região da EMEA apresentou um excelente desempenho no quarto trimestre, com um aumento de 11% em receitas não-IFRS de cloud e software, incluindo um forte desempenho de dois dígitos em licenças de software na Alemanha e Rússia. As receitas não-IFRS de subscrições e de suporte na cloud na região da EMEA aumentaram 53%, com um forte crescimento de dois dígitos em novas encomendas de cloud.

PREVISÃO DE NEGÓCIO EM 2016

A empresa está a fornecer as seguintes perspetivas de negócio para o novo ano:

  • Com base no contínuo e forte impulso no negócio de cloud da SAP, a empresa espera que as receitas anuais não-IFRS de subscrições e suporte na cloud se situem no intervalo de 2,95 – 3,05 mil milhões de euros, numa taxa de câmbio fixa (2015: 2,30 mil milhões de euros). O ponto superior deste intervalo representa uma taxa de crescimento de 33% numa taxa de câmbio fixa.
  • A empresa espera que em 2016 as receitas não-IFRS de cloud e software cresçam entre 6% e 8% numa taxa de câmbio fixa (2015: 17,23 mil milhões de euros).
  • A empresa espera que no decorrer de 2016, o lucro operacional não-IFRS se situe entre os 6,4 mil milhões e 6,7 mil milhões de euros, numa taxa de câmbio fixa (2015: 6,35 mil milhões de euros).

Enquanto a perspetiva de negócio de 2016 está expressa em taxas de câmbio constantes, espera-se que os valores reportados com o câmbio constante sejam impactados pela flutuação das taxas de câmbio à medida que se progride ao longo do ano.

PERSPETIVA A MÉDIO-PRAZO

Perspetivando para além do ano de 2016, a SAP está a aumentar a sua ambição para 2017, de modo a refletir não só a atual taxa de câmbio, como também a excelente dinâmica de negócio.

Assumindo um ambiente com uma taxa de câmbio estável, a SAP espera receitas não-IFRS em subscrições e suporte na cloud entre os 3,8 – 4,0 mil milhões de euros em 2017. O ponto superior deste intervalo representa uma CAGR (Compound Annual Growth Rate) entre 2015 e 2017 de 32%. Espera-se que as receitas totais não-IFRS se situem entre os 23,0 – 23,5 mil milhões de euros em 2017 e que o lucro operacional não-IFRS seja entre os 6,7 – 7,0 mil milhões de euros.

A SAP continua a antecipar que o rápido crescimento do negócio de cloud, assim como o crescimento das receitas de suporte irão originar uma quota mais elevada de receitas mais previsíveis. Tendo em conta o atual impulso das receitas de licenciamento de software, a empresa espera que o total das receitas de subscrições e suporte na cloud e das receitas de suporte de software se situem entre os 63% e 65% das receitas totais em 2017.

Em 2017, a SAP continua a esperar que o seu rápido crescimento das receitas de subscrições e suporte na cloud fique próximo das receitas de licenciamento de software, sendo esperado que superem as receitas de licenças de software em 2018. Por essa altura, a SAP espera alcançar uma escala no seu negócio de cloud que abrirá caminho para uma expansão acelerada do lucro.

A empresa não está nesta fase a ajustar a sua perspetiva de longo-prazo para 2020. A ambição da empresa para 2020, comunicada em 2015, foi:

  • 7,5 – 8,0 mil milhões de euros em receitas não-IFRS de subscrições e de suporte na cloud
  • 26 – 28 mil milhões de euros receitas totais não-IFRS
  • 8,0 – 9,0 mil milhões de euros de lucro operacional não-IFRS
  • 70%-75% de quota de receita mais previsível (definida como o total de receita de subscrições e suporte na cloud e de receita de suporte de software).

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *