Profissionais da área de TI dão nota negativa às empresas que impedem a transformação das infraestruturas de TI obsoletas


shadow

A maioria dos profissionais de TI ao serviço das mais prestigiadas empresas de todo o mundo dão notas negativas ou praticamente negativas às suas empresas na sua capacidade para implementar tecnologias de transformação e alavancar inovação em TI para ganhar vantagem competitiva face a empresas concorrentes.

De acordo com uma nova pesquisa, anunciada hoje, muitas das redes, data centers e sistemas backend usados atualmente possuem falta de planeamento, deficiências em funções-chave, financiamento insuficiente e não estão em sintonia com o negócio, o que faz com que a renovação das infraestruturas de TI seja um grande desafio para empresas de todos as dimensões.

As mais recentes conclusões – parte integrante do estudo “Transform to Better Perform” (http://www.reinventdatacenters.com), do Business Performance Innovation (BPI) Network’s – demonstra falhas significativas entre a vontade dos líderes empresariais em acelerar a transformação de negócio através da tecnologias e o real desejo e capacidade das suas empresas em fazer com que isso aconteça.

Baseado num estudo global que reuniu vários profissionais de TI, o novo relatório, intitulado “Bringing Dexterity to IT Complexity: What’s Helping or Hindering IT Tech Professionals,” é a sequela da pesquisa anterior, que esteve relacionada com o envolvimento dos líderes empresariais atuais na transformação de TI.  O estudo “Transform to Better Perform” foi patrocinado pela Dimension Data, líder mundial no provisionamento e gestão de serviços e soluções de TI.

Para descarregar o estudo, visite: http://reinventdatacenters.com/frontline-IT-report

Clique aqui para ter acesso à infografia do estudo: http://reinventdatacenters.com/frontline-IT-infographic

Clique aqui para ter acesso ao IT Transformation Scorecard: http://reinventdatacenters.com/frontline-IT-scorecard

O estudo do BPI Network realça que as empresas de TI têm falta de profissionais competentes precisamente nas áreas em que pretendem acelerar o desenvolvimento e a inovação. Tanto os executivos como os profissionais de TI dizem que a principal vontade das suas empresas é proceder a implementações mais rápidas de novas aplicações e melhorar a experiência para o cliente, assim como maiores contribuições estratégicas das TI. Contudo, os colaboradores da área tecnológica, indicam que as suas maiores fraquezas são o planeamento a longo prazo, desenvolvimento aplicacional, análise de dados e engenharia de software.

Mais de 80 por cento dos funcionários da área de TI dizem que gastam mais de 50 por cento do seu tempo na resolução de problemas e manutenção de sistemas proprietários em vez de estarem focados na inovação. E 17 por centro dizem que gastam 90 por cento do seu tempo em tarefas de manutenção de rotina.

Entre as maiores conclusões do relatório, destacamos:

  • Apenas 35 por cento dos inquiridos apontam que a capacidade de adaptação a novas tecnologias de transformação das suas empresas é boa ou muito boa.
  • Mais de 70 por centro dos funcionários de TI dizem que não começaram ainda ou estão apenas a começar o caminho para a transformação de TI.
  • Apenas 15 por cento têm um plano claro e detalhado para transformação. Mais de 80 por centro dizem que os seus planos apenas apontam a direção genérica, que precisam de uma atualização ou que nem sequer existem.
  • Praticamente 45 por centro disse que é crítico haver uma maior colaboração entre os grupos de TI e os líderes empresariais. Apenas 18 por cento menciona que existem equipas co-departamentais nas suas empresas. Outros 14 por cento referem que raramente falam com gestores de negócio ou então falam apenas por necessidade.

“Os executivos empresariais referem-nos que a inovação empresarial assente nas TI é agora um fator competitivo crítico em todos os sectores da economia global. No entanto, como demonstra claramente este estudo, a maioria das empresas não possui os recursos humanos, os processos e os investimentos necessários para fazer com que esta transformação seja uma realidade”, disse Donovan Neale-May, Director Executivo do BPI Network. “Esperamos continuar a assistir a reestruturações nesta área.”

“As empresas estão no início de uma mudança crítica para novos modelos tecnológicos e de uma dependência das infraestruturas, aplicações e serviços da próxima geração à medida que embarcam nesta viagem para se tornarem em empresas digitais”, disse Kevin Leahy, Director Geral de Data Centre Solutions da Dimension Data. “Os conhecimentos e recursos para operacionalizar isto estão em falta. As empresas precisam de escolher os parceiros certos, com as capacidades e os recursos certos, para assegurar que não ficam para trás.”

Entre outras queixas das equipas de TI está o facto de os business managers tardarem muito tempo até os incluírem nos processos (52 por cento), não oferecerem fundos e recursos suficientes para fazer com que o trabalho seja feito (48 por centro), e depois mudarem os requisitos da função antes do trabalho ter sido completado (46 por cento). Os funcionários de TI também indicam que não são vistos frequentemente como parceiros fidedignos no processo de inovação, com mais de metade dos inquiridos a indicar que os líderes das empresas têm uma impressão negativa do departamento de TI.

O estudo também descobriu que metade dos inquiridos em TI acreditam que as suas empresas vão transferir “todas” (13 por cento) ou “praticamente todas” (37 por cento) operações para a cloud. Foram 11 por cento os inquiridos que referiram que a cloud “não faz sentido” para os seus negócios. Atualmente, 34 por cento estão a usar a cloud para armazenamento de dados e 45 por cento estão a usá-la para aplicações software-as-a-service. Mais de um terço apontou que as suas empresas ainda não chegou à cloud.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *