22310 0

NetApp Data Fabric facilita adoção da Cloud Híbrida

A IDC apresentou ontem o estudo “Agilidade e simplicidade na gestão de ambientes cloud computing” onde revela o crescimento dos serviços de Cloud Computing em Portugal – mais de 42% das organizações nacionais já procederam à contratação de serviços públicos de cloud. Globalmente, o estudo conclui que as empresas estão a evoluir para ambientes híbridos, nos quais fazem coexistir diferentes nuvens, além da infraestrutura tecnológica tradicional.

Para as empresas portuguesas, a capacidade de migrar os dados de forma ágil é a base das expectativas da utilização de cloud híbrida e para acompanhar esta alteração dinâmica do modelo tecnológico a NetApp desenvolveu a solução Data Fabric, cujo objetivo é proporcionar ao cliente o controlo dos dados, independentemente da nuvem em que se encontrem, permitindo-lhes escolher e migrar os serviços entre diferentes fornecedores de forma ágil.

Data Fabric adapta-se às necessidades de cada ambiente

A NetApp posiciona-se como um fornecedor de tecnologia que facilita a adoção cloud pelos clientes. Nesse sentido, no atual contexto de ambientes híbridos e multi-cloud, a NetApp proporciona flexibilidade na escolha das alternativas cloud de forma dinâmica, podendo migrar o serviço entre os diferentes fornecedores, em função da etapa do ciclo em que se encontrem ou do valor que cada solução lhes proporcione. A abordagem da NetApp oferece um formato consistente de dados de forma a que se possam partilhar entre diferentes plataformas, uma gestão de dados definida por software que permite gerir os dados, independentemente do local onde estão alojados e o transporte rápido e eficiente dos dados de modo a que se possam transferir para onde seja mais adequado para o negócio.

Este modelo tem como objetivo permitir ao utilizador gerir e mover os dados de forma segura através dos diferentes modelos de cloud existentes, ou seja, proporcionar uma capacidade de gestão única e coerente, que assegure a compatibilidade entre os diferentes ambientes.

No futuro as empresas têm de decidir quando faz sentido ter uma infraestrutura própria, e quando é melhor recorrer a um fornecedor de serviço, de forma a assegurarem que têm a tecnologia necessária para cada momento. As empresas têm que saber como transmitir aos clientes o custo beneficio, a agilidade e a funcionalidade que lhes proporcionam as diferentes opções tecnológicas. Isto implica entender profundamente a cadeia de valor, estabelecendo com precisão a vantagem competitiva que proporciona o modelo de tecnologia, e serem capazes de relacionar a agilidade da cloud híbrida com uma melhor experiencia de utilização, uma maior qualidade de serviço, vantagens de custos e outros benefícios. Torna-se assim necessário considerar no inicio da estratégia tecnológica o ciclo de vida dos dados, aplicações ou cargas de trabalho, desde a fase de desenvolvimento de novos produtos ou iniciativas. Assim se consegue prever antecipadamente a viagem dos dados ao longo do ciclo de vida e tomar a melhor decisão tecnológica. A visão Data Fabric da NetApp têm como objetivo tornar possível essa decisão tecnológica dinâmica em ambientes de cloud híbrida.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Indra reporta lucro de 26.7 milhões de euros no primeiro trimestre de 2013

Para a Indra, a evolução da actividade no primeiro trimestre do ano desenvolveu-se conforme previsto. As vendas totais aumentaram 2%, atingindo os 728 milhões de euros. O comportamento

Ricoh Entrega “Fans’ Favourite Award” a Roger Federer

A Ricoh entregou ontem a Roger Federer, o “Fans’ Favourite Award” do ATPWorldTour.com, no Barclays ATP World Tour Finals a decorrer esta semana no recinto The O2 em

Sonae internacionaliza desafios de inovação

A  Sonae  inicia  hoje,  em  Espanha,  a  sua  primeira  maratona  de  inovação  fora  de  Portugal, envolvendo  cerca  de  uma  centena  de  estudantes  universitários  naquele  país.  O  evento designado

Lisboa é 18ª no ranking do emprego das indústrias culturais e criativas

A região e a cidade de Lisboa ocupam um significativo 18º lugar num ranking sobre o emprego criado pelas “indústrias culturais e criativas” e com um indicativo de

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *