Michael Page revela revolução no Trabalho Temporário


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Michael Page analisou o mercado global do trabalho temporário com a consulta a mais de 4 mil empresários e profissionais em 15 países. O estudo da Michael Page revela uma revolução no Trabalho Temporário a nível global, com as empresas a exigirem maior flexibilidade e autonomia dos colaboradores e o aumento da complexidade das suas funções.

O trabalhador temporário global atual tem 42 anos, mais de 10 anos de experiência profissional, é licenciado e pode exercer funções em qualquer um dos vários setores de atividade.

A idade média dos profissionais em regime de trabalho temporário tem vindo a aumentar, tal como o seu nível de experiência. Mais de 8 em cada 10 profissionais inquiridos (82%) tem, no mínimo, 5 anos de experiência profissional e 65% tem 10 anos de experiência. A maioria (66%) tem idade igual ou superior a 36 anos e 41% tem idade igual ou superior a 46 anos.

O QUE REVELAM OS TRABALHADORES TEMPORÁRIOS 

Experiência Profissional

O inquérito a profissionais em regime de Trabalho Temporário, da Europa, América do Norte, América Latina, Ásia e África, revela que 22% destes profissionais tem já acumulados mais de 25 anos de esperiência profissional. 13% tem entre 20 a 25 anos de experiência, 14% tem entre 15 a 20 anos, 16% entre 10 a 15, 13% entre 5 a 10 e 12% tem entre 2 a 5 anos de experiência. Apenas 10% dos inquiridos tem menos de 2 anos de experiência profissional.

O mercado europeu acompanha a média global, com 16,7% dos inquiridos com mais de 25 anos de experiência e 16,3% tem entre 10 a 15 anos de experiência profissional. Na América do Norte a taxa de profissionais com ampla experiência profissional (mais de 25 anos) é impressionante, chegando aos 23,5%. Também no mercado asiático, 30,9% destes profissionais tem mais de 25 anos de experiência. Apenas o mercado africano ainda contradiz esta tendência, com 31,4% dos profissionais inquiridos a revelarem ter entre 2 a 5 anos de experiência.

Situação Profissional

Ao momento do inquérito, a grande parte dos inquiridos encontrava-se ainda em regime de trabalho temporário (34%) ou empregado a tempo inteiro ou a tempo parcial (23,7%). 17% procurava emprego após uma experiência de trabalho temporário.

A análise região a região revela: em regime de trabalho temporário (Europa: 34,4%; América do Norte: 38,6%; América do Sul: 17,2%; Ásia: 42,3%; África: 23,8%); empregado a tempo inteiro ou a tempo parcial (Europa: 23,7%; América do Norte: 26,8%; América do Sul: 30,2%; Ásia: 22,4%; África: 38,1%); procura emprego após uma experiência de trabalho temporário (Europa: 19,4%; América do Norte: 17,4%; América do Sul: 13,9%; Ásia: 15,1%; África: 15,7%).

Setores e Áreas de Atividade

A nível global, são os setores de Serviços de Banca e Financeiros (14%), Indústria (10%), Público (8%) e Tecnologia (8%) que mais recrutam. Seguindo-se os Serviços de Gestão (7%), Saúde (6%), Propriedade & Construção (6%), Bens de Consumo (5%), Retalho (5%) e Transportes (4%).

A área que mais recruta profissionais em regime de trabalho temporário é a Financeira, ocupando 24% dos inquiridos. Seguem-se as áreas de Compras e Logística, 17%; Legal, 9%; Secretariado, 8%; Propriedade & Construção, 7%; Recursos Humanos, 6%; Engenharia e Indústria, 6%; Banca e Seguros, 6%; Marketing, 5%; Vendas, 3%; e TI, 3%.

Autonomia

Quase metade dos inquiridos, 43%, revela-se autónomo indicando que gere e resolve questões profissionais por si mesmo. 30% indica pedir ajuda a um colega e apenas 19% indica pedir ajuda a um gestor.

Sobre a revisão do seu trabalho, 50% dos inquiridos revela que o seu trabalho não é revisto por superiores e 50% indica que o seu trabalho é sujeito a um processo de revisão claramente definido.

O QUE REVELAM AS EMPRESAS

Adesão ao Regime de Trabalho Temporário

Apesar de algumas das empresas inquiridas recorrerem ao regime de Trabalho Temporário há mais de 20 anos, a grande maioria começou a fazê-lo na última década. 34% das empresas revela que começou a contratar profissionais em regime de Trabalho Temporário há 2 ou 5 anos atrás, 28% começou há 5 ou 10 anos. Apenas 8% começou a recorrer a este tipo de vínculo contratual há menos de 1 anos e 1% há mais de 20 anos.

Contratos em Regime de Trabalho Temporário

Quando questionadas sobre o número de contratos celebrados em regime de Trabalho Temporário no último ano, 47% das empresas indica ter contratado menos de 5 profissionais, 33% contratou mais de 20, 16% contratou entre 5 a 10 profissionais, e 12% contratou entre 10 a 20.

Funções Mais Procuradas

As funções para as quais as empresas, a nível global, mais procuram profissionais em regime e Trabalho Temporário são: Contabilidade na área de Contabilidade e Finanças, (12%), Secretariado (Gestão de Contas e Especialistas de Vendas na área de Vendas (7%), Receção (7%), Crédito na área de Contabilidade e Finanças (6%), Gestão de Projecto/Análise de Negócio e Administrador de Sistemas/Operações de TI na área das TI (6%) e Desenvolvimento na área de Engenharia e Indústria (5%).

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *