Michael Page analisa área de CSP e revela crescimento de 35%


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Michael Page, analisa a evolução do recrutamento para Centros de Serviços Partilhados, uma área em franco crescimento em Portugal em que a Michael Page registou um aumento de 35% dos processos de recrutamento desde o primeiro trimestre de 2014.

Uma área que atrai cada vez mais o interesse dos mercados internacionais para Portugal, está a captar maioritariamete grandes grupos empresariais que consolidam os seus serviços numa estrutura central e multinacionais que procuram implementar os seus centros de competências. As empresas interessadas no mercado português são, na sua maioria, originárias da Suiça, França, UK, EUA, Alemanha, Finlândia, Bélgica e Brasil.

“O setor dos Centros de Serviços Partilhados encontra-se em visível crescimento, com o investimento de multinacionais neste tipo de estruturas e serviços em Portugal. Pela sua localização e pela capacidade dos seus recursos humanos, com elevados níveis de qualificação mas a reduzido custo comparativamente com mercados equivalente em termos de qualificação, Portugal tem as condições ideais para atrair cada vez mais projetos desta natureza,” refere Tiago Henriques, Responsável da Michael Page Shared Services Centers.

A procura foca-se maioritariamente nos setores da Indústria, responsável por 31,3% dos processos de recrutamento, e de Serviços, este, responsável por 20,6% dos processos.

“A boa reputação do país em inovação e qualidade da tecnologia, tal como a relativa facilidade para a criação de novas empresas, são também pontos fortes para o florescimento de Centros de Serviços Partilhados,“ reforça Tiago Henriques.

Os setores da Banca/Seguros e da Aviação desempenham também um papel de destaque para o crescimento da área em Portugal, tendo sido responsáveis por 17,5% e 14,3% dos processos de recrutamento, respetivamente.

Os setores do Retalho, TI, FMCG e Imobiliário têm ainda representação reduzida, cabendo ao primeiro apenas uma percentagem de 5% do recrutamento e de 3,75% aos restantes.

Tiago Henriques antevê uma continuação positiva para a evolução da área: “Os Centros de Serviços Partilhados são uma janela de oportunidade para o emprego em Portugal. O investimento que trazem em termos de recrutamento para o mercado nacional é muito importante e espera-se um reforço já em 2016 com alguns players a iniciarem a sua operação e outros a reforçarem a sua estrutura, num processo continuo de migração de funções de outras geografias para Portugal.“

As empresas procuram perfis de todos os níveis de senioridade, com especial enfoque em perfis de middle management. É dada preferência a competências como o domínio de diferentes idiomas, capacidade analítica, espírito critico, boa formação académica.

As funções mais procuradas mais procuradas são HR Business Partner, Budget & Forecast Controller, Treasury Manager, Financial Treasury Specialist, Reporting Manager, Financial Operations Manager, Accountant, Accounting Lead, Finance Manager, Collections Lead, Finance Manager, Accounting Manager, Credit & Collections Manager, Financial Analyst, Process Expert Accounts Payable, Expert Close the Books e Training Specialist.

As atividades puramente administrativas são normalmente deslocalizadas para outros centros de competências, procurando as empresas Portugal para recrutamento de profissionais mais qualificados.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *