Kaspersky Lab colabora com a Sociedade Arqueológica de Atenas nas escavações de Akrotiri


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A cooperação entre a Kaspersky Lab e a Sociedade Arqueológica de Atenas (ASA) começou em 2015, quando a empresa de cibersegurança colaborou na recuperação dos frescos de Akrotiri. O projeto foi este ano ampliado e, nesse âmbito, a Kaspersky Lab colabora no trabalho que cientistas e arqueólogos realizam nas diferentes esferas da sua investigação. Mais concretamente, na recompilação de novos dados sobre a antiga civilização e as instalações na ilha grega vulcânica de Santorini (Thera).

Eugene Kaspersky, CEO da Kaspersky Lab, explica a importância deste trabalho: “Akrotiri é um lugar extraordinário, um tesouro para toda a humanidade que poderia desaparecer se não fosse a intervenção de arqueólogos. É muito importante continuar a explorar este local, já que é provável que nas escavações apareçam novos objetos. Estou muito orgulhoso por apoiar as investigações e fazer parte de uma colaboração com o intuito de preservar este incrível lugar para as gerações futuras”.

A Kaspersky Lab apoiará as diferentes fases do projeto. A primeira consistirá nas escavações dos edifícios públicos da época (House of Benches), perto do edifício Xeste 3. Foi aqui que se descobriu, em 1999, a estátua da cabra dourada de Akrotiri. Este foi, aliás, o único objeto encontrado, pelo que os cientistas esperam que mais escavações e investigações ajudem a encontrar um altar.

A segunda fase incluirá trabalhos para restaurar e conservar as pinturas da grande escadaria do edifício Xeste 4. Durante as passadas escavações, foram recuperados dezenas de metros quadrados de pinturas de murais fragmentados mas ainda há muitas peças por descobrir. Estes murais, que decoravam todos os lances e patamares da escadaria, ocupavam uma superfície de 90 m2. A Kaspersky Lab apoiou previamente a ASA na conservação da parede norte e sul do patamar do segundo andar (12,50 m2), e este ano apoia o trabalho nas paredes norte e sul do quarto lance da escadaria (12,50 m2).

Por último, a empresa colaborará no projeto de reconstrução dos edifícios. O antigo sistema de reforços de madeira desintegrou-se, deformando paredes e solos. Foram tomadas algumas medidas de recuperação durante as escavações das décadas de 60 e 70, mas falta ainda investigar o comportamento destes edifícios com o passar dos anos, com as condições climatéricas e ambientais e com os terremotos. Para tal, e com o objetivo de ajudar os restauradores a preservar os edifícios da deterioração, a Kaspersky Lab colaborará no estudo do estado atual de conservação das ruínas e na análise e classificação dos dados recolhidos sobre os monumentos.

“O apoio prestado pela Kaspersky Lab ajuda-nos a continuar o nosso trabalho em numerosas direções. Estou orgulhoso por ver que esta colaboração continua pelo segundo ano consecutivo”, sublinha Dr. Dora Vassilicos, membro do conselho da Sociedade Arqueológica de Atenas. “A contribuição para a ciência e estudo desta antiga civilização é indispensável. Quanto mais encontrarmos, mais pessoas se interessarão pela história e a cultura de Akrotiri”.

O catedrático Christos Doumas, diretor das escavações, declara que “Akrotiri foi sempre um lugar especial para toda a gente que trabalha nas escavações. Continuaremos a trabalhar com o objetivo de obter respostas sobre os habitantes das ilhas que viviam aqui há milhares de anos. Estou, por isso, muito satisfeito por ver como a Kaspersky Lab se interessa pelo nosso trabalho e apoia o projeto a longo prazo. Isto representa uma grande oportunidade para as nossas investigações científicas. Espero que a Kaspersky se torne num parceiro a longo prazo, quando abordarmos a possibilidade de futuras cooperações”.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *