Indra moderniza sistemas de trafégo aéreo da Costa Rica por 12 Milhões de Dólares


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Indra fechou um contrato com a Corporación Centroamericana de Servicios de Navegación Aérea (COCESNA) para renovar os sistemas de gestão de tráfego aéreo do Centro de Controlo de San José e dos principais aeroportos internacionais da Costa Rica por 12 milhões de dólares.

A empresa irá modernizar os sistemas do centro que coordena o tráfego aéreo da Costa Rica e das torres que gerem as manobras de aproximação e aterragem nos aeroportos internacionais de Juan Santamaría, o principal e que dá serviço à cidade de San José; o de Daniel Oduber Quirós, na Libéria, e o de Tobías Bolaños Palma, que também serve a capital. A Indra é um dos principais fornecedores de sistemas de gestão de tráfego aéreo do mundo, tendo implementado os seus sistemas em mais de 4000 instalações e 160 países.

O centro de San José incorpora ainda avançados sistema de comunicação de voz Garex 300, que fazem parte da família de sistemas de comunicação IP da Indra, assim como gravadores de voz Neptuno. A multinacional acordou com a COCESNA dotar este centro de um avançado sistema que cumpra com o protocolo NAM Nível 3, o mais avançado, para facilitar a coordenação entre centros de controlo no momento de transferir a responsabilidade de gestão de um voo. A Costa Rica será o primeiro país do mundo a dispor da tecnologia que incorpora este protocolo.

Outra das melhorias que a Indra levará a cabo nas instalações será a adaptação dos seus sistemas para dotá-los de capacidade para processar e visualizar os dados meteorológicos facultados pelos radares multimeteo. Também implementará um sistema de informação de voo e gestão de fluxo de tráfego aéreo (ATFM/AIM), quer permitirá monitorizar e otimizar a gestão do tráfego de toda a rede de aeroportos do país.

Por outro lado e para reforçar o controlo e segurança dos movimentos das aeronaves no espaço aéreo da Costa Rica, a empresa implementará em San José uma estação dotada de um radar primário e outro secundário de última geração. O radar secundário incorpora a capacidade de receção digital do sinal e tem integrado um recetor ADS-B que melhora as suas prestações. Isto permitirá oferecer uma maior capacidade de deteção e identificação de aeronaves e ajudará a aumentar o volume de tráfego que o país pode absorver.

A Indra é um dos principais fornecedores de sistemas radar em todo o mundo. O ano passado, os radares primários de vigilância da Indra foram os mais vendidos fora dos Estados Unidos da América. Por outro lado, os radares secundários modo S da Indra, que incorporam a tecnologia mais avançada de identificação de aeronaves, estão operacionais em 175 instalações em todo o planeta. Estes sistemas cobrem atualmente a vigilância do tráfego de 60% do espaço aéreo chinês, a quase totalidade do céu da Índia e 90% do céu do Equador, entre outras referências.

Com este novo contrato da Costa Rica, a Indra reforça a sua sólida relação que mantém como fornecedor tecnológico da Corporación Centroamericana de Servicios de Navegación Aérea (COCESNA). Atualmente, todo o espaço aéreo superior da América Central que gere este organismo é comandado com tecnologia da Indra. Desta forma, os países que fazem parte da Corporación também confiaram na tecnologia da empresa para modernizar as suas infraestruturas. No resto da América Latina, a Indra forneceu sistemas a países como as Bahamas, Colômbia, Equador, Argentina, Chile, Perú, Uruguai, Paraguai ou Brasil, sendo um dos principais fornecedores desta tecnologia.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *