IFS alcança os 182 milhões de euros nos primeiros 6 meses de 2016

1716
0
Share:

A IFS registou neste período um crescimento de 9 por cento no seu volume de negócios, o que se traduz num aumento positivo de 8 milhões de euros face a igual período do ano passado. Este aumento veio então confirmar que o ano de 2016 está a ser globalmente positivo para a empresa, que apresenta um crescimento no volume de negócios bem como no EBIT. De referir que este resultado positivo do primeiro semestre da IFS vem na sequência da sua posição consolidada, que vem acumulando resultados positivos nos últimos três anos.

A IFS tem vindo a reforçar as suas parcerias estratégicas com empresas líderes, como é o caso da Acccenture, de forma a continuar a responder aos desafios e às necessidades dos seus Clientes. Da mesma forma, ambiciona ainda continuar a desenvolver iniciativas de aquisição de empresas, de que é exemplo a compra da MainIoT Software Oy, uma empresa Finlandesa que irá permitir reforçar a sua presença nos espaços de gestão de ativos empresariais (EAM) e de serviços empresariais (ESM).

Relativamente à sua posição em Portugal, a empresa pretende continuar a desenvolver uma estratégia de consolidação e de reforço da sua presença no mercado, conquistando novos Clientes. Neste sentido, e segundo Gustavo Brito – Managing Director da IFS Iberica -, “a empresa tem vindo a desenvolver um esforço grande de consolidação da sua presença em Portugal quer através de novas parcerias como é o caso da NEORIS como através de novos Clientes, como a DanCake.”.

Adicionalmente, e dando sequência ao investimento desenvovlido pela empresa a nível internacional, a IFS está a investir na sua área de I&D – o IFS Labs. É aqui que a IFS procura, com o seus consultores, novas tendências de mercado que lhe permita destacar-se da sua concorrência.

A empresa fechou 2015, em Portugal e Espanha, com um crescimento de 30%.

Destaques dos primeiros seis meses | Janeiro – Junho

  • A venda de licenças fixou-se nos 30 milhões de EUR, um aumento de 3 por
    centro, com ajuste cambial;
  • A faturação de Manutenção foi de 62 milhões de euros, um crescimento de 7 %
    com ajuste cambial;
  • A unidade de consultoria registou um crescimento de 11% face ao trimestre
    homólogo de 2015, para um total ligeiramente superior aos 87 milhões de euros;
  • O volume de negócios cresceu 9% para um total de 182 milhões de euros, com
    ajuste cambial;
  • O EBIDTA ajustado foi ligeiramente acima dos 18 milhões de euros face a 2015.
  • O Cashflow, depois de investimentos, é de 4 milhões de euros face aos 7 milhões de
    euros registados em período homólogo.
  • Os ganhos por acção ascendem a 0,34 euros face aos 0,35 euros face a período
    homólogo de 2015.
Share:
Patricia Fonseca

Deixe o seu comentário