Growin aposta nas startups com abertura de escritório no Porto


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Growin acaba de alargar a sua presença em Portugal, através da abertura de um escritório no centro do Porto. As novas instalações, na Rotunda da Boavista, inserem-se na estratégia de crescimento da empresa que conta duplicar a faturação e aumentar a equipa este ano.

Depois de um primeiro ano a bater as expetativas definidas, com uma faturação de cerca de dois milhões de euros e um aumento de 88% em contratações, passando de 14 para 110 colaboradores, a Growin pretende manter o crescimento sustentado no país mas também no estrangeiro, considerando a abertura do escritório do Porto crucial para esse processo, sobretudo pelo potencial que a região está a criar junto do universo das startups.

Sónia Jerónimo, CEO da Growin realça que “as startups são um mercado de expansão preferencial da Growin, e são cada vez mais os projetos internacionais desta natureza que decidem sedear-se no Porto, dados os recursos de engenharia com fortes competências na área das tecnologias de informação, levando mesmo a cidade a ser considerada um dos centros tecnológicos da Europa em mais rápido crescimento. Por esse grande fator e pela existência de um tecido empresarial local de médias e grandes empresas muito dinâmico, desde o primeiro dia que considerámos o Porto um passo estratégico de investimento.”

A Growin prevê que o novo escritório represente em 2016 um volume de negócios na ordem dos 300 mil euros, 8% da faturação global objetivada, e que a equipa atual de seis colaboradores chegue até aos 15 no final do ano. Pretende por isso desenvolver novas oportunidades de negócio, tendo já fechado projetos com clientes de diversas áreas como a banca e telecomunicações.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *