Estudo da Regus revela que a colaboração aumenta sucesso das startups em coworking mas falta a privacidade


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

O último estudo global da Regus confirma que as startups prosperam em espaços coworking, mas às vezes é preciso intensificar a salvaguarda da privacidade. Os dois motivos mais populares para a escolha de coworking são a oportunidade de conhecer outros profissionais de diferentes empresas (82%) e networking (80%). A nível nacional, os portugueses consideram que o mais interessante é o contacto com outros profissionais (91%), seguido da possibilidade de conhecer outros empreendedores (83%).

Esta pesquisa, que reflete as opiniões de mais de 44.000 profissionais em mais de 100 países em todo o mundo, também destaca como as empresas veem o coworking como uma alternativa de baixo custo (79%), especialmente quando comparado com o arrendamento de um escritório fixo. Os profissionais portugueses estão alinhados com esta conclusão (80%).

Trabalhar a partir de um espaço de coworking permite desfrutar da combinação de vários benefícios, de ter flexibilidade e de ir para um escritório, sem o sentimento comum de isolamento vivenciado por quem opera a partir de casa. No entanto, 76% dos inquiridos confirmou que estes locais de trabalho por vezes não são profissionais o suficiente para reuniões com clientes. Ainda há 75% dos profissionais a alertar para o risco de falta de privacidade e que o espaço na sala de reuniões é escasso (59%). Em Portugal, os profissionais apontam como a maior desvantagem a falta de privacidade (82%). Relativamente às reuniões com clientes pensam que o ambiente de coworking não é o mais indicado (74%) e que a sala para tal efeito é pequena (55%).

 Outros resultados globais: 

  • Os empreendedores veem os espaços de coworking como o ambiente ideal para conhecer outros empreendedores (74%) e todos os entrevistados concordam que eles fornecem o ambiente ideal para o crescimento das startups (74%).

No caso dos empreendedores portugueses, 86% e 63%, respetivamente.

  • Oferta de inspiração (69%) e estímulo para manter as skills atualizadas (62%) também são fatores importantes.

No caso dos portugueses, 74% e 62%, respetivamente.

  • Apesar de o coworking ser ideal para a inovação e o desenvolvimento de startups, os entrevistados confirmam que às vezes precisam de utilizar espaços mais profissionais. Muitas vezes os clientes precisam de ser atendidos em ambientes mais profissionais (76%).

No caso dos portugueses, 74%.

Jorge Valdeira, Country Manager da Regus Portugal, justifica: «Com demasiada frequência, as empresas interpretam trabalho flexível como trabalhar em casa, mas isso não parece muito profissional e muitas vezes pode levar os colaboradores a sentirem-se isolados. Usar espaços de trabalho colaborativos contraria isto e potencia relacionamentos-chave em termos de negócio.

Muitas empresas consolidadas encaram os espaços de coworking como uma solução eficaz em termos de custos para local de trabalho. No entanto, devem estar cientes de que o espaço para uma reunião formal e importante é um requisito fundamental e que a privacidade deve ser protegida. O coworking traz muitos benefícios, mas o ambiente deve ser profissional o suficiente para os trabalhos mais sensíveis.»

Resumo – Os prós do coworking:

Os prós do coworking
48% – Acompanhar as notícias industriais

50% – Dress code casual/informal

62% – Manter as competências atualizadas através da interação

66% – Novas oportunidades de negócio/projetos

67% – Ambiente criativo

69% – Maior inspiração

74% – Ideal para startups

74% – Conhecer outros empreendedores

79% – Rentável (custos)

80% – Networking

82% – Conhecer outros profissionais

 

 

 

Resumo – Os contras do coworking:

Os contras do coworking

31% – Pressão para network

46% – Cozinha com mau cheiro e/ou suja

56% – Reuniões internas necessitam de um ambiente profissional

56% – Dificuldades de concentração

56% – Rede de internet reduzida

59% – Falta de espaços para reuniões

60% – Colaboradores de outras empresas mal apresentados

69% – Documentos delicados podem ser lidos por outros

75% – Falta de privacidade

76% – Reuniões com clientes necessitam de um ambiente profissional

Metodologia

Em julho de 2015, mais de 44.000 colaboradores foram entrevistados, via questionário online, em mais 100 países, incluindo Portugal. Estes foram angariados a partir da base de dados mundial de contactos da Regus, altamente representativa, que inclui mais de 2 milhões de profissionais inseridos no mundo dos negócios.

Os entrevistados foram convidados a expressar-se sobre os espaços de coworking. A pesquisa foi gerida e administrada pela empresa independente de estudos de mercado MindMetre Research.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *