CIONET divulga as seis tendências que irão marcar a transformação digital na saúde nos próximos 10 anos


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A CIONET apresentou hoje as seis tendências que vão marcar a transformação digital na saúde nos próximos 10 anos.

De acordo com dados reunidos pela comunidade, vários estudos indicam que dentro de dez anos 75% dos pacientes estejam a utilizar serviços de saúde digitais – a transformação digital. Também designada por “quarta revolução industrial”, é uma revolução silenciosa que progressivamente afeta todos os setores da indústria, e não é exceção a área da saúde. Com base nesta macrotendência de fundo e em recolha de dados primários da rede, a CIONET identificou 6 tendências de inovação que irão marcar o futuro próximo do setor da saúde, o qual caminha a passos largos para a digitalização integral que atingirá tanto os profissionais de saúde como os pacientes, tanto no setor privado como no público.

As tendências identificadas deverão ter maior projeção a partir de 2020, e inserem-se no âmbito de quatro grandes temáticas: a gestão do bem-estar, o acesso a cuidados de saúde, ao nível das doenças crónicas e ao nível da gestão da doença.

Visita Digital e Telemedicina: esta tendência irá permitir visitas 100% remotas, monitorização contínua do paciente, auto monitorização e consultas interativas, com benefícios óbvios ao nível do empowerement do paciente, redução de custos e facilidade de acesso a cuidados de saúde.

IoT e Saúde Remota: a IoT terá um impacto muito positivo na medida em que facilita a adesão dos pacientes ao tratamento, permite a deteção inicial de complicações e permite um tratamento e medicação (e.g., dosagem) ajustado em tempo real.

Saúde Móvel: a saúde móvel aportará um conjunto significativo de vantagens, designadamente: maior precisão de dados e acesso à informação, aumento de produtividade dos clínicos, melhor comunicação entre profissionais de saúde e pacientes, diminuição de erros médicos e melhor qualidade do serviço prestado.

Saúde Conectada: Com uma conexão integral de todos os interlocutores, é possível uma maior precisão dos resultados, enfoque na prevenção, minimização da utilização de serviços desnecessários e maximização da independência dos pacientes.

Envolvimento do Paciente: a utilização de tecnologias promotoras do envolvimento do paciente irá desenvolver-se a diferentes níveis: educação do paciente (maximizar escolhas inteligentes e diminuir desperdício de tempo), portais (interações virtuais paciente-médico, paciente-paciente e médico-médico) e feedback do paciente (surveys e outras ferramentas de IT).

Inteligência Clínica: Os hospitais assistem a um crescimento exponencial do volume de dados aumentando a necessidade de uma melhor inteligência de negócios clínica e análises clínicas, nomeadamente, implementação de rotinas e automatismos, intensificação da comunicação/inteligência de negócios, otimização do fluxo de dados entre os bancos de dados e aumento da especificidade/sensibilidade da análise clinica.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *