Check Point demonstra como a “Colaboração é a forma mais eficaz de proteção”


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A Check Point em colaboração com a a Allot e a Tufin, juntou 150 clientes e parceiros em dois eventos realizados em Lisboa e no Porto para abordar as últimas tendências em segurança TI.

O Winter Security Day realizou-se no passado dia 1 de dezembro em Lisboa e no dia 2 no Porto, tendo tido como mote a “Colaboração: a forma mais eficaz de proteção”.

O evento foi realizado em parceria com a Allot Communications e a Tufin, duas companhias especializadas no desenvolvimento de soluções de segurança de redes, a quem coube, respetivamente, a missão de falar aos presentes da criação de redes inteligentes de nova geração e da gestão de políticas de segurança em ambientes híbridos.

Já a Check Point, pela voz de Rui Carneiro Duro, Sales Manager da empresa em Portugal, abordou as mudanças de paradigma em termos de cibersegurança, falando da forma como as ameaças se tornaram recentemente cada vez mais sofisticadas e omnipresentes, ultrapassando o normal perímetro da rede para passar a abranger cada vez mais os dispositivos móveis.

“Até agora, os dados das empresas estavam mais ou menos controlados, mas com o advento da mobilidade, a informação sai da organização e o seu perímetro é alargado ao resto do mundo”, alerta Rui Duro. Segundo este responsável, “este é o cenário com que temos que viver hoje e representa um enorme desafio do ponto de vista da segurança dos dados e das redes”.

O panorama das ciberameaças que têm por alvo as empresas tem registado uma evolução assustadora, não só em termos quantitativos, mas sobretudo qualitativos. Como refere Rui Carneiro Duro, “hoje, as ciberameaças têm características diferentes: as motivações que estão por detrás são muito mais específicas, bem como os seus alvos. Agora escondem-se bem, são polimórficas e altamente sofisticadas e programáveis. Já não estamos a falar só de bots, estas ameaças estão já muito mais à frente, e as tecnologias de proteção tradicionais já não chegam”.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *