30167 0

Estudo Samsung conclui que 70% dos portugueses inquiridos admite fingir saber o significado dos termos tecnológicos mais recentes

Não existem dúvidas de que a tecnologia nos consegue entusiasmar com experiências únicas – realidade virtual, carros sem condutor, electrodomésticos “smart” – no entanto, com o ritmo da inovação a aumentar, a nova pesquisa feita para a Samsung vem demonstrar que os europeus estão a achar difícil manterem-se a par das mudanças no jargão tecnológico. Esta nova pesquisa realizada, chamada “Tech Habits”, permite concluir que o entusiasmo à volta da tecnologia aumenta, mas que a indústria enfrenta o risco de deixar os seus consumidores para trás devido à terminologia complexa.

Os europeus estão a adotar a tecnologia como nunca, com 52% das pessoas inquiridas a afirmar que usam mais tecnologia hoje do que há dois anos e com 13% a admitir que já não consegue viver sem tecnologia. Mais de metade das 10 mil pessoas inquiridas a nível europeu ficam entusiasmadas com as mais recentes inovações tecnológicas, tais como a “Cloud” ou a “Internet of Things”, mas quase três quartos (72%) admitem que, por vezes, fingem saber o significado dos termos utilizados.

No caso português, 61% dos inquiridos usa mais tecnologia em comparação com o que fazia há dois anos, sendo que 15% afirma que já não consegue viver sem tecnologia. Mais de três quartos dos portugueses abrangidos no estudo sentem-se entusiasmados com as últimas inovações (77%) e 70% admite que, por vezes, finge saber o significado do jargão tecnológico que ouve.

O estudo “Tech Habits” (hábitos tecnológicos) foi feito a mais de 10 mil cidadãos europeus de 18 países – incluindo Portugal – para pesquisar se houve mudanças ao nível dos hábitos e conhecimento tecnológico. Como resposta aos resultados do estudo, a Samsung criou o glossário “Tecnologia para Todos” que explica o significado dos termos tecnológicos mais recentes.

A Samsung Electrónica Portuguesa desenvolveu, em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian e com a Universidade de Évora, o projecto de salas de aula Samsung, em três agrupamentos de escolas nos distritos do Alentejo.

Equiparam-se sete salas de aula com tecnologia Samsung, promovendo os benefícios da aprendizagem através das novas tecnologias, bem como de novos métodos e abordagens pedagógicas, num projecto que vai já no segundo ano de funcionamento. A Universidade de Évora, que acompanha de perto os alunos e avalia a iniciativa, identificou melhorias significativas na auto-aprendizagem e na capacidade de trabalhar em grupo, bem como na análise crítica de informação.

Para além das salas de aula, a Samsung criou outro projecto em parceria com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) – o Tech Institute. Esta iniciativa consiste num laboratório onde formandos de cinco Centros de Formação recebem formação sobre produtos e conteúdos técnicos Samsung na área dos smartphones e das Smart TVs.

Desta forma, os formandos ficam dotados de competências técnicas numa área que carece de formação técnica em Portugal, com vista a aumentar o número de oportunidades de emprego. Actualmente, a Samsung Electrónica Portuguesa e o IEFP têm em funcionamento os Tech Institute de Lisboa, no CINEL, e os do Porto, Aveiro, Santarém e Faro, dentro de Centros do próprio IEFP.

A nível europeu a Samsung Electronics já equipou 600 Smart Schools e 48 Tech Institutes, envolvendo mais de 100 mil jovens; o objectivo é chegar directamente a cerca de 400.000 jovens em toda a Europa, até 2020.

Ser-se geek não é moda, é Vintage

Contrariamente ao que seria de esperar são as gerações mais velhas que demonstram maior conforto com a tecnologia por si utilizada, versus a geração Millenial. De acordo com o estudo da Samsung, 41% dos portugueses inquiridos com mais de 55 anos nunca sentiram a necessidade de mentir sobre o conhecimento de termos tecnológicos, contrastando com os 26% dos Millennials inquiridos. Comparando com a média europeia pode afirmar-se que Portugal é um país com melhor conhecimento tecnológico sendo que apenas 34% dos europeus inquiridos com mais de 55 anos nunca fingiram conhecer termos tecnológicos versus os 24% da geração Millenial europeia inquirida.

Streaming? Isso come-se?

Graças às diversas plataformas digitais de reprodução de música e vídeo, a tecnologia de streaming está já democratizada. No entanto, para o consumidor português, este facto não é assim tão óbvio – 20% declara ter fingido saber mais sobre streaming do que realmente conhece.

Relativamente à média europeia 16% dos europeus abrangidos no estudo já fingiu saber o significado de streaming. A Bulgária apresenta 32% de desconhecimento, seguida de perto pela Polónia, com 27%.

Nós é mais Tablets

Analisando os dados, Portugal sobressai como um país onde o Tablet é um equipamento valorizado – apenas 2% dos inquiridos tiveram que fingir que sabiam o que era, o valor mais baixo da Europa, que conta com 7% de média de desconhecimento.

Mas não é apenas nos Tablets que os portugueses se destacam – apresentam também a percentagem mais baixa de desconhecimento relativamente às expressões Bluetooth (4% vs 10% média europeia), Wi-Fi (4% vs 10% média europeia) e Smart Devices (5% vs 9% média europeia). Tudo elementos que demonstram a facilidade com que o consumidor nacional adopta tecnologias móveis, justificando mais uma vez a apetência pelos Tablets.

Os portugueses sabem distinguir o Bit do Byte?

Estar no seio de uma conversa mais tecnológica e parecer o “patinho feio” da mesma é um sentimento bastante desagradável. Que o digam a Bulgária e a Roménia, onde 29% dos inquiridos afirma ter fingido conhecer termos tecnológicos para não parecer ignorante junto dos seus pares. Portugal não fica atrás, com 25% dos inquiridos a procederem da mesma forma.

Apps mais úteis

O estudo também procurou investigar as aplicações que os europeus consideram mais úteis. Neste ranking, as apps (aplicações) de mapas revelam ser aquelas que os inquiridos sentem ter o maior impacto nas suas vidas diárias, tornando-lhes a vida mais fácil – mais precisamente, 66%. Seguem-se as apps de previsão meteorológica (56%) e as câmaras de telefone (51%).

No caso português, as aplicações de mapas também ficam no primeiro lugar com 28% da população inquirida a afirmar que são as mais úteis; em segundo e terceiro lugar ficam as apps para a câmara do telefone (15%) e as aplicações de tradução (14%).

DICIONÁRIO “TECNOLOGIA PARA TODOS”: Top 3 dos termos tecnológicos mais incompreendidos na Europa
#1 – A Cloud: Através de uma ligação à internet, é possível aceder aos seus ficheiros pessoais e profissionais a partir de qualquer dispositivo – Smartphone, Tablet ou Computador –, não sendo necessário ocupar memória interna do seu equipamento.
#2 – O Streaming: serviço de transmissão de áudio e/ou vídeo em tempo real, acessível através de uma ligação à internet.
#3 – A Internet das Coisas: conjunto de equipamentos – smartphones, frigoríficos e até máquinas de lavar – ligados através de WIFI (rede sem fios) que trabalham em conjunto para ajudar a tornar a sua utilização mais conveniente para o consumidor.


Patricia Fonseca

Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Notícias Relacionadas

Optimus conquista prémio internacional GPS Awards

A Optimus foi a grande vencedora da 4ª edição dos GPS Awards, organizados pela Orange, com a solução Linha Express, da Optimus Negócios. O produto Linha Express destacou-se

Plano B inaugura nova agência em regime de franchising

A Plano B, agência de mediação imobiliária e gestão de arrendamentos, vai inaugurar em Telheiras, no dia 2 de Novembro, uma nova agência em regime de franchising. A

Ligula bibendum laoreet inceptos gravida

Velit eu cubilia velit ante hymenaeos proin class pretium ornare dolor consequat dui eros magnis sodales. Quis nullam quis magnis lacus proin inceptos sociosqu dis nonummy per Ligula

CESCE SI amplia suporte para sistemas operativos e bases de dados

A CESCE SI em parceria com a Vision Solutions anunciaram o lançamento do Double-Take Share 5.3, a mais recente versão da solução de partilha de dados em plataformas

Dê a sua opinião:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *