Produtividade é prioridade para 70% das PME europeias


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A OKI divulga hoje o estudo completo da IDC intitulado “Os processos empresariais estão a inibir as suas oportunidades de mercado?”. O White Paper da IDC avança dados europeus sobre gestão de informação e impressão económica e conclui que os equipamentos multifunções (MFPs) Smart estão a “redefinir a forma como o fluxo de trabalho é realizado”.

Destacando a necessidade de otimização do fluxo de trabalho, o estudo da IDC conclui que 70% das PME europeias encaram atualmente a produtividade como uma prioridade. No entanto, apenas uma em cada três empresas planeia a forma como irá armazenar e gerir o crescimento da informação para otimizar a produtividade, num mundo cada vez mais digital.

O volume de dados empresariais terá aumentado seis vezes nos últimos cinco anos, até 2015, e deverá continuar a um ritmo semelhante. Por sua vez, os desafios relacionados com documentos estão associados a uma quebra de 20% na produtividade dos colaboradores, o equivalente a mais de dois meses de trabalho por ano, segundo a IDC.

O White Paper da IDC conclui ainda que 75% das PME encontram-se expostas a riscos, uma vez que não têm sistemas de segurança implementados, apesar de tecnologias emergentes no local de trabalho, como o BYOD, redes sociais e armazenamento na Cloud, levantarem críticas preocupações de segurança.

A análise da IDC sugere que, para abordarem os presentes desafios de TI e conseguirem um crescimento e desempenho competitivo, as empresas deverão definir prioridades e tomar decisões cruciais sobre investimento.

O White Paper defende investimentos mais pequenos na personalização de ferramentas de fluxo de trabalho, que contribuem para uma automação, integração e aumento de produtividade, num curto espaço de tempo. Assim, aponta os mais recentes multifunções inteligentes (MFP Smart) como uma solução para operações empresariais e eficiência de processos mais inteligentes, através de funcionalidades de melhoria do fluxo de trabalho e produtividade.

“Os MFP Smart deixam de ter como principais funções a impressão e cópia de documentos em papel, passando a atuar como rampas de entrada e saída da nuvem e a ser uma ferramenta de transformação digital personalizável. Esta nova função permite que as empresas obtenham, integrem e comuniquem informações, aumentando consequentemente a utilização do equipamento” afirma Jacqui Hendriks, Diretora da divisão de investigação e consultoria dos European Managed Print Services and Document Solutions da IDC.

O portefólio de MFP Smart da OKI Europe combina software sofisticado com tecnologias avançadas para captar e processar informação de forma mais inteligente, ajudando os funcionários a trabalharem de forma mais produtiva, e apoiar a crescente necessidade de digitalização de documentos, economizando espaço, tempo e recursos das PME.

Esta flexibilidade integrada está em linha com as práticas de 70% das PME europeias que, segundo a IDC, adotam ferramentas de automação de processos empresariais para uma maior produtividade dos colaboradores.

Terry Kawashima, diretor executivo, OKI Europe Ltd. refere que “os MFP Smart percorreram um longo caminho num curto espaço de tempo. Esta é uma resposta direta às exigências do mercado relativamente a fluxos de trabalho digitais e simplificados, preparando o caminho para um futuro com menos arquivo físico e uma maior aposta na digitalização de documentos.”

“O White Paper da IDC identifica um número de desafios e prioridades empresariais a que os MFPs Smart de hoje conseguem dar resposta e estabelece ainda uma ligação clara entre os equipamentos e os requisitos das empresas contemporâneas”, acrescenta Terry Kawashima.

O estudo e infográfico da IDC “Os processos empresariais estão a inibir as suas oportunidades de mercado? Impressão económica e gestão de documentos através de MFP inteligentes” pode ser acedido em www.oki.pt/smartmfps

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *