IBM e KPMG anunciam acordo para utilização da tecnologia cognitiva do IBM Watson


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

A KPMG LLP e a IBM anunciaram um acordo que visa aplicar a tecnologia de computação cognitiva do IBM Watson às ofertas e serviços da KPMG. Com especial ênfase nos serviços de auditoria, esta colaboração tem por base várias iniciativas de sucesso recentes da KPMG que, ao tirarem partido das tecnologias cognitivas, demonstraram conseguir transformar a capacidade da consultora em prestar serviços de negócio avançados e inovadores aos seus clientes.

“A era cognitiva chegou”, afirmou Lynne Doughtie, Presidente e CEO da KPMG LLP. “A utilização  do IBM Watson vai ajudar-nos a aumentar a capacidade da nossa equipa em analisar e atuar, tendo por base dados financeiros e operacionais essenciais para a solidez das organizações e dos mercados de capitais. Associado a esta possibilidade sem precedentes de melhorar a qualidade dos serviços, é ainda extraordinário o potencial que as tecnologias cognitivas trazem na ajuda para encontrar novas ofertas de negócio”.

Na verdade, as tecnologias cognitivas permitem uma colaboração mais profunda entre os humanos e os sistemas, permitindo comunicar em linguagem natural, analisar grandes quantidades de dados e chegar a conclusões válidas de uma forma mais rápida. A IBM conta na sua história com a capacidade única de combinar inovações por forma a criar tecnologias de ponta. O IBM Watson integra machine learning e outras tecnologias de inteligência artificial num sistema escalável que pode ser acedido através de uma série de aplicações.

“As empresas de auditoria, entre tantas outras, enfrentam cada vez mais o desafio de lidar com enormes volumes de dados não estruturados. As tecnologias cognitivas, cujo expoente máximo é o IBM Watson, transformam a forma como os dados são entendidos e como se podem tomar decisões críticas de negócio com base nos fundamentos certos”, sustentou John Kelly, senior vice-president, Cognitive Solutions and IBM Research. “Ao tirar partido do IBM Watson, a KPMG está a iniciar uma abordagem inovadora e voltada para o futuro que irá alargar o seu conhecimento, ajudando os seus profissionais e clientes a ganhar novos insights a partir de informações importantes.”

O ecossistema cognitivo que está a ser implementado na KPMG contribuirá significativamente para a evolução contínua de ofertas de serviços da consultora, incluindo um trabalho promissor com o Watson por forma a desenvolver serviços cognitivos que ajudem a KPMG a responder aos requisitos específicos de auditoria no que se refere a segurança, confidencialidade e conformidade.

Uma iniciativa já em curso diz respeito à informação financeira das empresas, com os auditores da KPMG a “ensinar” o Watson a melhorar e a afinar as avaliações ao longo do tempo, com o objetivo de chegar mais rapidamente a cálculos importantes que os ajudem a identificar anomalias e a desenvolver os passos seguintes. E mais: uma vez que as tecnologias cognitivas permitem analisar uma percentagem maior de dados e de ações, ajudando os auditores a chegar a conclusões válidas, vai permitir-lhes agregar conhecimentos avançados sobre operações financeiras e de negócio de um cliente, e, ao mesmo tempo, libertá-los para atividades de maior valor, como oferecer ao cliente insights adicionais como potenciais riscos financeiros, entre outros.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *