Recrutamento de Mulheres para Cargos Diretivos cresceu 8%


shadow
Partilhe esta notícia...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestEmail this to someone

Para assinalar o Dia Internacional da Mulher, a 8 de março, a Michael Page analisou a evolução do recrutamento de mulheres para cargos de direção. A análise mostra um crescimento positivo de 8%, no período compreendido entre 2010 e 2015.

Em 2010, a percentagem de mulheres recrutadas pela Michael Page para cargos de direção era de apenas 24%, face aos 76% representados pelo género masculino. Em 2015, o número de mulheres recrutadas para cargos de direção através da empresa de recrutamento evoluiu consideravelmente, crescendo 8% e situando-se atualmente nos 32%. Consequentemente, em 2015, a percentagem de mulheres recrutadas representou cerca de 1/3 das contratações para cargos de direção.

Segundo Sílvia Nunes, Senior Executive Manager da Michael Page, “a idade das mulheres recrutadas através da Michael Page para cargos de direção em 2015 ronda os 40 anos, uma média muito semelhante àquela verificada entre a percentagem de homens recrutados, no mesmo período, para estes cargos.”

Do espólio de características e competências essencias aos perfis de cargos de direção, as profissionais do género feminino destacam-se por variadas razões com importante relevo para o bom desempenho empresarial. “As profissionais recrutadas para cargos de direção apresentam geralmente perfis muito organizados, com elevada capacidade de multi-tasking, mas também elevado nível de pensamento estratégico, tal como elevados níveis de eficiência na relação horas de trabalho/produtividade. Outra característica importante é a capacidade de abordar as questões mais sensíveis com um binómio razão/emoção bastante equilibrado,” refere Sílvia Nunes.

“Do lado menos positivo da análise realizada durante os processos de recrutamento encontra-se o papel atribuído à mulher na família – papel esse que em grande parte dos casos não é ainda igualmente dividido, continua a contribuir como desafio à contratação. Especialmente no caso de mulheres com filhos, surgem dificuldades acrescidas para estas profissionais relativamente à conciliação da vida pessoal e profissional, nomeadamente em conciliar viagens de negócios,” conclui Sílvia Nunes.

Em 2015, os principais cargos de direção que recrutaram profissionais do género feminino foram Direção de Recursos Humanos, a representar 34% das contratações, Direção Administrativa e Financeira e Direção de Compras, ambas com 25%, e Direção de Operações e Direção Médica, ambas com 8%.

Os perfis foram recrutados maioritariamente para os setores dos Serviços e Healthcare, representando 50% dos processos. O segundo setor a recrutar profissionais do género feminino foi o Retalho, representando 18%. Com contributo mais reduzido, seguiram-se os setores de FMCG, Construção, Legal e Indústria, cada um representando 8%.

As áreas variaram consideravelmente, quando comparados os processos de recrutamento entre os anos de 2010 e 2015. No início do período analizado, as áreas que recrutaram mulheres para cargos de direção foram Comercial & Marketing, 36%, Financeiro, 32%, Recursos Humanos, 16%, Engenharia, 8%, e Tecnologias de Informação, 4%.

Author

Patricia Fonseca
Patricia Fonseca

Viciada em tecnologia, entrou para a equipa em 2012 e é responsável pela Leak Business, função que acumula com a de editora da Leak. Não dispensa o telemóvel nem o iPod e não consegue ficar sem experimentar nenhum dispositivo tecnológico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *